Nota de falecimento

Nota de falecimento

A Andifes, em reconhecimento à contribuição para a Educação no Brasil, lamenta o falecimento do ex-ministro da Educação, Paulo Renato Souza, e solidariza-se com familiares e amigos.

 


Morre o ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza

O Globo (opais@oglobo.com.br)

RIO – Morreu na noite deste sábado o ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza, de 65 anos. O idealizador do Enem sofreu um infarto fulminante na cidade de São Roque, interior de São Paulo, onde passava o feriado de Corpus Christi em um hotel da cidade com a família . De acordo com informações do site G1, Paulo Renato chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

O corpo do ex-ministro já está na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde está sendo velado. De acordo com a assessoria do ex-ministro, ele deve ser enterrado apenas na segunda-feira, depois que suas duas filhas, que moram no exterior, chegarem ao Brasil. O local do enterro, no entanto, ainda não foi informado.

A presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso. Em nota divulgada pelo blog do Planalto, ela afirma que o idealizador do Enem “prestou relevantes serviços ao país”.

“Recebi com pesar a notícia da morte do ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza. Economista, ex-Reitor da Unicamp e ex-vice presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Paulo Renato prestou relevantes serviços ao país. Neste momento de dor, quero transmitir meus sentimentos a seus familiares e amigos”, diz o comunicado.

Em seu twitter oficial, José Serra, ex-governador de São Paulo, lamentou a morte:

“Foi-se Paulo Renato, meu querido amigo, um dos maiores homens públicos do Brasil. Foi um grande secretário e um grande ministro da Educação”.

O secretário estadual da Cultura de São Paulo, Andrea Matarazzo, informou pelo twitter que soube pela família de Paulo Renato da nóticia do falecimento. Segundo ele, ele morreu por volta das 23h20m de sábado:

“Triste noticia o falecimento do Paulo Renato. Um grande ministro. Uma grande pessoa. Bom caráter. Serio. Grande perda para o Brasil e para os amigos o falecimento do Paulo Renato de Souza”.

Também pelo twitter, Raul Christiano, ex-assessor de Paulo Renato, escreveu que ele não estava doente, e que cuidava do coração desde 1995, quando sofreu um infarto pela primeira vez:

“Estou chocado com a perda do amigo PAULO RENATO SOUZA, o melhor chefe que tive em toda minha vida! Ministro da Educação de FHC. Ele enfartou no sitio, em Sao Roque. Paulo Renato não estava doente. Cuidava do coração desde 1995 qdo infartou pela 1a.vez em Brasília e foi operado no Incor-SP”, escreveu.

A secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, também escreveu em seu twitter sobre a morte do ex-ministro:

“RT@jorgeodaviriato: Paulo Renato possibilitou o PDDE, de grande ajuda para as escolas; ampliou a Bolsa Escola,hoje Bolsa Família. R.I.P”.

O ex-ministro nasceu em Porto Alegre, no dia 10 de setembro de 1945. Formou-se em Economia e, mais tarde, obteve título de mestre e doutor. Durante os anos 1970, o economista serviu à Organização Internacional do Trabalho (OIT) como diretor-associado do Programa Regional do Emprego para a América Latina e o Caribe, e outras agências da ONU. Ele também foi gerente de Operações do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em Washington, antes de ocupar o cargo de secretário da Educação do estado de São Paulo entre 1984 e 1986 no governo Franco Montoro. Dois anos depois ele ajudou a fundar o PSDB.

Paulo Renato ocupou o cargo de ministro da Educação durante o governo FHC entre 1995 e 2002. Em 2006, o economista foi eleito deputado federal pelo PSDB, mas licenciou-se do mandato em 2009 para assumir a secretaria de Educação do estado de São Paulo no governo José Serra (PSDB), substituindo Maria Helena Guimarães de Castro. Ele pediu demissão do cargo no fim do ano passado, pouco antes do atual governador do estado, Geraldo Alckmin, assumir.

 

Compartilhar