Novo reitor é empossado e cobra do MEC recomposição orçamentária

Ao ser empossado na terça, 21, no ministério da Educação, em Brasília, no cargo de reitor da Universidades Federal de Campina Grande (UFCG), o professor Vicemário Simões, reafirmou o compromisso de manter a instituição promotora de inclusão social, tendo como a qualidade como condição primordial e sob uma administração democrática, dialógica e participativa. Ele cobrou do MEC a recomposição orçamentária da UFCG.

Em seu discurso, Vicemário defendeu a promoção da cidadania, valorização das pessoas e o exercício pleno da autonomia universitária, assegurando buscar todas as condições para o cumprimento da carta programa – o plano de trabalho refletido e elaborado para a sua gestão e do professor Camilo Farias, vice-reitor, nos próximos quatro anos.

Simões solicitou ao ministro da Educação, Mendonça Filho, a recomposição do orçamento da universidade e a reposição, com expansão, dos seus quadros – docentes e técnicos-administrativos – e afirmou ser imperativo que o MEC busque as condições para retomar o processo de construção do hospital universitário de Cajazeiras, visando à formação de novos profissionais, e lembrou que recursos consideráveis já foram investidos na confecção do projeto executivo.

O reitor também pediu atenção especial à assistência estudantil – ampliação de restaurantes, residências e bolsas permanência –, e aos serviços de terceirização, que impactam o orçamento, reduzindo a capacidade de investimentos. Participaram da solenidade, o ex-reitor Edilson Amorim, o vice-reitor Camilo Farias, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues e o deputado federal, Rômulo Gouveia (PSD/PB).

De acordo com o ministro, embora o Brasil enfrente um momento de escassez de recursos, o MEC segue apoiando a continuidade da missão das instituições federais de ensino superior. “Temos de buscar parcerias importantes para a construção de uma agenda positiva para uma educação pública de qualidade”, finalizou.

Compartilhe: