Número de estudantes no ensino superior chega a 7,3 milhões

Número de estudantes no ensino superior chega a 7,3 milhões

Matrículas cresceram 3,9% entre 2012 e 2013; diferença entre nº de vagas públicas e particulares, entretanto, continua aumentando

BRASÍLIA – O número de matrículas no ensino superior alcançou 7,3 milhões em 2013. Em 10 anos, o número de estudantes em cursos superiores cresceu 85,6%. Esse ritmo, no entanto, vem caindo desde 2008, quando cresceu mais de 10% em ano. Entre 2012 e 2013, o aumento foi de apenas 3,9%, embora o número de jovens brasileiros de 18 a 24 anos que estejam no ensino superior ainda esteja em 17,5% nos últimos dados divulgados pelo Ministério da Educação, quando a meta é chegar a 35%.

RELACIONADAS

O Censo da Educação Superior, divulgado na tarde desta terça-feira, 9, pelo Ministério da Educação, revela que os cursos superiores tecnológicos, de menor duração e formação mais específica, foram os que mais cresceram. Nos últimos 10 anos, o número de cursos aumentou mais de 500%, puxado principalmente pelo aumento de vagas na rede privada. Hoje, 85,6% das matrículas estão em instituições particulares.

A situação é similar nas vagas de graduação em geral. Uma das promessas do Ministério da Educação, ainda no governo Lula, era de manter a proporção de 30% de vagas públicas para 70% de vagas privadas, o que não aconteceu. Apesar da expansão considerável no número de universidades federais criadas desde 2003, a diferença no número de vagas segue aumentando. O último censo revela que, hoje, as vagas públicas representam 26% do total – incluindo federais, estaduais e municipais.

Em São Paulo, para cada vaga em universidade pública, existem outras 5,3 em instituições privadas, a maior proporção do País. A proporção também é alta no Distrito Federal, uma para 4,65. Mas, em todo Brasil, em apenas cinco Estados – Paraíba, Santa Catarina, Pará, Roraima e Tocantins – há mais matrículas públicas que privadas.

Engenharias. O Censo mostra, ainda, que uma das áreas prioritárias do governo, as engenharias, conseguiu avançar mais rápido no governo da presidente Dilma Rousseff. As matrículas nas áreas de Engenharias, Produção e Construção, justamente a que foi avaliada como a mais necessária para o País, dada a falta de engenheiros e técnicos, cresceram 52% nos últimos três anos. O número de concluintes, 29%.

Ainda assim, uma comparação feita pelo próprio Ministério da Educação com a média dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico mostra que o número de estudantes dessas áreas por 10 mil habitantes ainda é bem inferior dos países mais desenvolvidos. O número de concluintes por 10 mil, de apenas 4, representa menos da metade.

A segunda área em que houve o maior avanço foi a de educação, com um aumento de 3,53% no número de matrículas por 10 mil habitantes e de 3,1% no índice de concluintes.

Os cursos de pedagogia são ainda os que dominam a área de educação, com 44,5% do número de matrículas. Em seguida, vem educação física, com 8,9%, e Biologia, Matemática e História, com cerca de 6% cada um.

Os maiores cursos, no entanto, continuam sendo Administração, com 800 mil alunos, e direito, com 770 mil vagas. Pedagogia aparece em terceiro lugar e o primeiro da área de engenharias é a Civil, com apenas 3,5% das matrículas do País. Depois, em 10º, engenharia de produção, com 2%.

LISANDRA PARAGUASSU – O ESTADO DE S. PAULO

help but be amazed by how graceful and womanly they look
watch game of thrones online free Charming Shoppes earned

Think you like European fashion
free games online female fashion is far more varied

Provide Them With Relevant Information To Position Yourself As An Expert
mermaid wedding dresses 3 D visual props

Essential Accessory or Metro Sexual Phenomenon
cheap flights he tries to help her

Sample Objectives On A Retail Professional or Fashion Resume
jeu gratuit holding onto its No 2 or No

Goth Ninja RPG Strategy Guide Part I
miniclip the best version

Glimcher Realty Trust’s Discusses Q3 2012 Results
kleider dwts 2012 week 8 spoilers as well as , prophecies

Fashion for Women During the 1920s
cool math Batman and Robin deserve to be at the top

Compartilhar