Pesquisa do Hospital Universitário da UFGD ganha artigo internacional

Pesquisa do Hospital Universitário da UFGD ganha artigo internacional

O artigo de Julio Croda pela UFGD e do departamento de patologia da USP foi produzido a partir do atendimento de pacientes com Paracoccidioidomicose

O professor de Clínica Médica da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Julio Croda, teve o artigo publicado na revista internacional Journal Cutaneous Pathology, na edição divulgada na semana passada. O artigo está intitulado como “Characterization of cytotoxic immune response in skin and mucosal lesions of paracoccidioidomycosis”.

O artigo é um dos resultados da participação de Julio Croda pela UFGD e do departamento de patologia da USP com o atendimento dos pacientes com Paracoccidioidomicose no HU/UFGD (Hospital Universitário).

No Ambulatório de Micoses Sistêmicas, o setor de pesquisa estuda as infecções fungicas (Blastomicose, Paracoccidioidomicose, Histoplasmose e Criptococose) na região da Grande Dourados. Os atendimentos serão realizados no Hospital Universitário toda sexta-feira das 13h às 17h.

Confira o artigo no link:
http://www.ufgd.edu.br/fcs/downloads/artigo-julio-croda-201ccharacterization-of-cytotoxic-immune-response-in-skin-and-mucosal-lesions-of-paracoccidioidomycosis201d/view

Sobre a Paracoccidiodomicose
A Paracoccidiodomicose, também conhecida por Doença de Lutz-Splendore-Almeida, existe nas zonas rurais do Brasil e afeta principalmente os agricultores que trabalham a terra que contém esporos infecciosos. A infecção é pela inalação desses esporos.

A infecção pelo Paracoccidioides brasiliensis é adquirida nas duas primeiras décadas de vida, com o pico de incidência entre 10 e 20 anos de idade. A evolução para doença é incomum nessas décadas, ocorrendo mais em adultos entre 30 e 50 anos, como reativação de foco endógeno latente e depende de fatores relacionados tanto ao agente infeccioso quanto ao hospedeiro.

A maioria dos casos de paracoccidioidomicose ocorre em indivíduos do sexo masculino, fumantes e etilistas crônicos, cujas condições de higiene, nutricionais e socioeconômicas são precárias.

Consenso em Paracoccidiomicose
http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v39n3/a17v39n3.pdf

Marcação de consultas
As consultas poderão ser agendadas eletronicamente através do sistema SISREG disponível nas secretárias de saúde dos municípios ou através do e-mail: pbmicose@hotmail.com

Mais informações : http://www.ufgd.edu.br/fcs/micoses (Ambulatório de Micoses Sistêmicas)

Compartilhar