Pesquisadores da UFRN ministram curso de energia eólica offshore em Brasília

Pesquisadores da UFRN ministram curso de energia eólica offshore em Brasília

O grupo de pesquisa CRIAÇÃO – Renewable Energy da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em parceria com a embaixada do Reino Unido no Brasil, realizou no último dia 13, em Brasília, o curso Energia Eólica Offshore: Fundamentos e Estado da Arte. A capacitação foi promovida pela Secretaria de Empreendedorismo e Inovação (Sempi) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com o objetivo de preparar técnicos e gestores federais para aproveitar o potencial dessa fonte de energia elétrica no Brasil.

O curso foi ministrado pelo professor da UFRN, Mario González, e pelos pesquisadores Rafael Monteiro e David Cassimiro, do grupo de pesquisa CRIAÇÃO, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Assuntos como a evolução e o desenvolvimento da energia eólica offshore, estruturas de suporte e infraestrutura elétrica, análises financeiras de projetos e as tendências tecnológicas da cadeia de valor foram apresentados aos 44 participantes, que representaram instituições como o Ministério da Economia, a Agência Nacional de Energia Elétrica, o Ministério de Minas e Energia e o Tribunal de Contas da União.

A UFRN ainda realizará dois cursos, em Natal e no Rio de Janeiro, além de um workshop internacional, cujas discussões irão contribuir para a elaboração de um projeto de cooperação internacional sobre o tema, a fim de desenvolver a energia eólica marítima –  offshore wind –  no Brasil, especialmente no Rio Grande do Norte. O segmento é de grande interesse de países como o Reino Unido, conforme ressaltou o embaixador do país, Vijay Rangarajan, em recente visita à UFRN.

Na ocasião, a oficial de Política Energética da embaixada, Clarissa Vargas, elogiou as pesquisas da UFRN em energia eólica offshore e destacou a importância da troca de experiências e do compartilhamento desses conhecimentos para a evolução da área no país. A satisfação foi reiterada por Vijay Rangarajan, que sinalizou o interesse de investidores para a implantação da tecnologia.

Compartilhar