Presidente da Andifes volta a debater cortes no financiamento do Ensino Superior

O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), reitor Emmanuel Zagury Tourinho, participou de um debate sobre a situação financeira enfrentada pelas universidades federais, durante a manhã dessa sexta-feira (27).

Além de apresentar dados que comprovam a falta de investimentos no Ensino Superior, Tourinho defendeu que a universidade pública permaneça gratuita.

“A ideia de cobrar mensalidade na universidade pública não é solução. Uma pesquisa feita pela Andifes mostrou que isso seria suficiente para apenas 30% do orçamento necessário, além de comprometer 25% da renda bruta familiar por aluno. A ideia de cobrar mensalidades tem uma única função: tirar da universidade o aluno de baixa renda. Os argumentos de que os ricos deveriam pagar seria mais bem servido por uma lei que taxasse as grandes fortunas e destinasse esses recursos para a Educação”, afirmou Emmanuel Tourinho.

A reitora da UnB, Márcia Abrahão destacou a importância desse debate no encerramento da Semana Universitária, iniciada na segunda-feira (23), que, esse ano, segundo ela, ganha um papel ainda mais forte, diante do cenário de cortes e contingenciamento de investimentos. “É muito importante que a universidade se integre à sociedade, especialmente nesse momento de circunstâncias gravíssimas tanto para a ciência quanto para as universidades”, ressaltou.

Participaram, ainda, do debate o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu Moreira, e a presidente da Associação Nacioanal de Pós-graduandos (ANPG), Tamara Naiz.

Compartilhe: