Professor da UNIR lança livro sobre Terceiro Setor

Professor da UNIR lança livro sobre Terceiro Setor

O professor da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Bruno Valverde Chahaira, lançou este mês em São Paulo, pela Editora Biblioteca 24 horas, a obra “O Terceiro Setor e a Administração Pública: Aspectos Jurídicos e Reflexos Sociais.

O livro, cujo prefácio foi feito pela professora doutora Aparecida Zuin, também da UNIR, é resultante das pesquisas realizadas pelo professor Bruno Valverde, que é doutorando em Direito Constitucional pela Faculdade Autônoma de Direito de São Paulo.    Segundo o autor, “a obra é de suma importância para o momento em que vivemos, onde a sociedade civil organizada tem papel fundamental na construção de uma sociedade mais justa e politizada, contudo, precisamos conhecer os aspectos e reflexos que o Terceiro Setor nos traduz”.

A obra pode ser acessada no seguinte endereço eletrônico: http://www.amazon.com/Terceiro-Setor-e-Administra%C3%A7%C3%A3o-P%C3%BAblica/dp/8541608913/ref=sr_1_5?ie=UTF8&qid=1443188508&sr=8-5&keywords=bruno+valverde.

Resumo da Obra: No século XXI, o Estado, principalmente o brasileiro, tem dado sinais de nebulosidade, de sombrio e de avesso às verdadeiras práticas em prol da sociedade. No interior dessas cargas de negatividade o Estado vem perdendo o sentido, ao mesmo tempo em que acarreta o afastamento do homem da prática política para salvaguardar seus interesses e sua superioridade.

Pode se dizer disso a crise do Estado? Talvez. Ou seria justamente por se fazer tão visto como nunca fora antes que agora ele se alça e se mostra como sempre foi, mas que não dava sinais para ser-visto? Dessas indagações, chegamos a outro interesse. Quando esse não se mostra ou se deixa ser-visto, quem ocupa seu espaço simbólico? Quem exerceria as funções sociais que são lhes dadas como competência? Bem, segundo Bruno Valverde Chahaira, em seu livro O Terceiro Setor e a Administração Pública, se o Estado falha, a sociedade procura seus meios para tentar resguardar sua existência. Afinal, em quantos momentos da Constituição Brasileira, principalmente, a Constituição de 1988, o Estado conclama a sociedade para juntos galgarem o estágio máximo da política até substanciarem com êxito o ideal comum? Muitas vezes o chamado é claro e dito em seus vários artigos. O Estado não almeja ser o soberano sem a participação da sociedade. Por isso, para aqueles que pretendem conhecer com afinco sobre o assunto não pode passar sem a leitura da obra – O Terceiro Setor e a Administração Pública. A proposta é oportuna e importante para o momento vivido pela sociedade brasileira.

Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Rondônia

Compartilhar