Professora da Unipampa lança livro

Professora da Unipampa lança livro

Uma leitura sobre a formação e a trajetória dos sindicatos no Brasil, abordando o período do primeiro governo de Getúlio Vargas, na década de 30, aos dias de hoje. Esse é o tema do livro que a professora do Campus São Borja da Universidade Federal do Pampa, Naiara Dal Molin, lança no próximo dia 4 de agosto durante o 7º Encontro da Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP), na cidade de Recife, Pernambuco.

A obra “Sindicato e Estado no Brasil: o sindicalismo no período populista e o Novo Sindicalismo” foi produzida na Editora Nova Prova pelo Programa de Pós-graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O estudo da professora do curso de Ciência Política da UNIPAMPA acompanha e analisa, entre outros momentos históricos, o apoio de Vargas aos movimentos sindicais, por meio dos quais buscava controlar os sindicalistas.

O desenvolvimento das organizações representativas dos trabalhadores, em uma perspectiva histórica e do ponto de vista das mudanças do mundo do trabalho e dos novos conceitos da política sindical, é registrado, analisado e comentado, proporcionando a compreensão das relações que hoje existem entre os sindicatos e o Estado – uma faceta importante da rede que constitui a política nacional.

O livro é resultado de pesquisa desenvolvida durante o mestrado de Ciência Política na UFRGS, e a motivação pelo assunto é curiosa:
“Durante uma época [meados da década de 80, com a abertura política] era moda nas Ciências Sociais estudar o sindicalismo, mas depois os estudos sobre isso diminuíram. Sou contra os modismos, porque durante um tempo surgem várias pesquisas sobre um mesmo assunto e depois se abandona o tema”.

Na investigação, que uniu uma recuperação histórica com a análise contextual das relações políticas, Naiara ressalta o forte papel do Estado como o grande incentivador da industrialização nacional, incluindo neste impulso as políticas trabalhistas. Com isso, o relacionamento entre as representações sindicais e os governos foram incluindo diferentes fatores de tensão. As alterações de partidos no poder e as ligações partidárias causaram um choque de interesses no interior de organizações representativas e até mesmo nas pessoas, divididas entre o sindicato e o partido.

Naiara explica que isso afeta o jogo político, na medida em que propostas e modificações por meio de leis podem ser aprovadas ou repudiadas conforme as bases políticas e a ação dos grupos de pressão – como as centrais sindicais.

Compartilhar