Professores da Ufac lançam livro “Xapuri: fragmentos de memórias”

Professores da Ufac lançam livro “Xapuri: fragmentos de memórias”

Os professores da Universidade Federal do Acre (Ufac), Carlos Estevão Ferreira Castelo (curso de Economia) e Sérgio Roberto Gomes de Souza (História), lançaram recentemente o livro Xapuri: fragmentos de memórias. A obra é uma produção independente, tem objetivo de dialogar com “fragmentos de memórias” de atores sociais que viveram/vivem em Xapuri.

O que motivou a produção do livro foi o “descaso com os espaços de memória, a destruição de acervos históricos e a historiografia oficial”, explica Castelo.

A parceria entre o economista e o historiador, ambos nascidos em Xapuri e amigos de infância, começou com uma declaração dada por Dona Carmem Veloso, conhecida quituteira da cidade, ao jornalista Altino Machado em 11 de junho de 2011, que dizia: “Xapuri está uma merda. Meu único cliente é o João Soares. Ele paga R$ 200,00 pelo café e almoço, metade a cada quinze dias, para que eu tenha condições de garantir a comida na mesa.” Segundo os autores, a obra constitui-se, de certa maneira, em uma continuidade dos debates realizados a partir das declarações da Dona Carmem Veloso.

Castelo lembra que esta foi a primeira vez que escreveu um livro em parceria com outro professor. “Aprendi muito com os textos do Sérgio [Souza], acredito que ele também aprendeu muito”, afirmou Castelo. “Foi muito interessante”, pontuou.

O livro é dividido em cinco capítulos. Começa com narrativas sobre as populações indígenas e a “invenção” do Acre. Faz uma revisita ao mito “Princesa do Acre”, e aborda os diferentes povos, entre turcos e seus comércios, portugueses e italianos que viveram na cidade. Trata da chegada dos “paulistas”, bem como do surgimento do movimento de resistência por parte dos seringueiros. Tem um capítulo dedicado à vida e morte de Chico Mendes, o líder seringueiro que ajudou a transformar Xapuri em um símbolo do “ambientalismo”. No último capítulo os autores tratam da “florestania”.

O professor Carlos Estevão Ferreira Castelo se mostra otimista com a aceitação da obra pelo público. Principalmente entre os naturais de Xapuri. “Começamos a pré-venda pelas redes sociais. Tivemos uma grande procura, principalmente do povo de Xapuri que é o principal interessado. Acredito que a primeira edição será esgotada rapidamente e teremos que encomendar uma segunda e uma terceira edição”, disse Castelo.

A obra foi editada por Eduardo de Araújo Carneiro, revisado por Eurilinda Figueiredo e a capa foi produzida pelo professor Hélio Moreira da Costa Júnior, a partir de uma foto do Bazar Paranese, de propriedade da Família Koury, nos anos 1920. O livro está sendo vendido por R$ 30 e pode ser adquirido pelo e-mail xapuriense@uol.com.br. O público de Xapuri pode adquirir o livro na Casa Castelo, na Rua 6 de agosto.

Os autores

Carlos Estevão Ferreira Castelo nasceu em Xapuri (AC), onde iniciou sua formação escolar no Colégio Divina Providência. É bacharel em Economia pela Universidade Federal do Acre (Ufac), onde atua como professor efetivo desde 1992. Obteve o seu título de mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 1999 e o de doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP) em 2014.

Sérgio Roberto Gomes de Souza nasceu em Xapuri (AC), onde iniciou sua formação escolar no Colégio Divina Providência. É graduado em História pela Universidade Federal do Acre (UFAC), onde atua como professor desde 2002. Neste mesmo ano obteve o título de Mestre em História pela Universidade Federal do Pernambuco (UFPE). Em 2014, concluiu o seu Doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (USP).

Assessoria de Comunicação da Universidade Federal do Acre

 

Compartilhar