Professores da UFRA participam de encontro na Noruega

Professores da UFRA participam de encontro na Noruega

Um termo de cooperação interinstitucional entre o Museu de História Natural da Universidade de Oslo (UiO), Noruega, a Companhia de Mineração Norueguesa HYDRO, o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e a Universidade Federal do Pará (UFPA) foi assinado em novembro de 2013. Assim, foi criado o Biodiversity Research Consortium Brazil-Norway (BRC), que possui como principais objetivos realizar pesquisa em restauração da biodiversidade de ecossistemas, levantamentos florísticos e faunísticos e pesquisa em emissão de gases de efeito estufa.

No âmbito do BRC, atualmente, três projetos vêm sendo desenvolvidos na área da Empresa Mineração Paragominas S.A., do grupo HYDRO, em Paragominas. No entanto o objetivo é que o BRC consiga implementar outros projetos na área daquele município, buscando fundos que possam custear novos projetos que demonstrem como a indústria e as instituições de pesquisa podem cooperar para desenvolver tecnologias ambientais que ajudem na conservação dos ecossistemas amazônicos, fomentando a formação de recursos humanos por meio dos cursos de graduação e pós-graduação das instituições participantes.

Os participantes do BRC têm se reunido, pelo menos, duas vezes por ano para discutir planos e realizar avaliações periódicas dos projetos em andamento. As primeiras foram realizadas no Pará, mas a última reunião ocorreu entre os dias 11 e 14 de setembro de 2015, em Oslo, na Noruega, com a participação dos representantes do Comitê Científico formado pelas instituições envolvidas.

Ao mesmo tempo, foi realizado o SimpósioProtecting Biodiversity in the Brazilian Amazon, com a participação de pesquisadores de centros de pesquisa da Noruega, como a Rainforest Foundation Norway, Norwegian University of Life Sciences, Center for International Forest Research, além dos representantes do BRC. Na oportunidade, foram discutidos assuntos como mudança climática, perda e manutenção da biodiversidade, e técnicas e avaliação de restauração de ecossistemas. Segundo os organizadores, este foi um dos simpósios mais importantes em biodiversidade na Amazônia, já realizado na Noruega.

A UFRA foi representada pelos professores Gracialda Costa Ferreira, Presidente da Diretoria do Consórcio, Selma Toyoko Ohashi, do Instituto de Ciências Agrárias (ICA), e Adriano Marlisson Leão, Assessor Internacional, representando a Profa. Tâmara Lima (UFRA Paragominas), que realizaram apresentações sobre métodos de restauração florestal, mudanças climáticas na Amazônia e o andamento do projeto (Biodiversidade e Solos) que esta universidade tem em execução junto ao BRC. Os professores realizaram visitas a laboratórios e participaram de reuniões temáticas com alguns pesquisadores da Noruega, buscando viabilizar novas parcerias entre as instituições norueguesas e a UFRA.

Durante a estada em Oslo, representantes do BRC ainda se reuniram com o Conselho de Pesquisa da Noruega, o órgão responsável pela política de investimentos em Ciência e Tecnologia daquele país. O objetivo foi discutir uma ampla agenda de cooperação internacional bilateral entre Noruega e Brasil, na área de ciência básica e aplicada que promova uma interação maior entre os países em termos de formação de pessoal e investimento em projetos.

No dia 18 de novembro, dentro de uma curta agenda de visitas ao Brasil, o príncipe da Noruega, Haakon Magnus, visitará o Pará para firmar um convênio de cooperação com o governo do Estado. A visita será sincronizada com outro evento científico sobre conservação da biodiversidade amazônica, organizado pelo BRC, que ocorrerá no MPEG.

O governo da Noruega já investe em parcerias científicas na Amazônia, como demonstrado pela sua grande parcela de investimento no Fundo Amazônia. Espera-se que o BRC possa ser um agente importante dessa promissora cooperação com o governo da Noruega e as instituições de pesquisa locais possam participar nas decisões de conduzir investimentos em áreas prioritárias para a região.

 

Texto: Comitê Científico daBiodiversity Research Consortium Brazil-Norway(BRC)

Compartilhar