Professores e pesquisadores lançam livros pela EDU

Professores e pesquisadores lançam livros pela EDU

Mais nove livros passam a integrar o catálogo de publicações da Editora UnB. Eles são resultado de dois editais para divulgar conteúdos didáticos, da graduação, e científicos, de pesquisa e pós-graduação. O edital nº 13/2017 refere-se ao Decanato de Ensino de Graduação (DEG) e o edital nº 2/2017, aos decanatos de Pesquisa e Inovação (DPI) e de Pós-Graduação (DPG).

 As novas publicações estão listadas ao fim desta matéria.

Essas são as primeiras obras dos editais, publicados em 2017, mas a expectativa é lançar todas até o fim do ano. Das 46 propostas que foram recebidas, 32 foram aprovadas para publicação, sendo entregues 29. O recurso total destinado chega próximo a meio milhão de reais.

Realizado nesta quinta-feira (13), no auditório da Reitoria, o lançamento oficial contou com a presença de autores, membros da comunidade acadêmica e representantes da administração superior da Universidade de Brasília. Para ambos os editais foram criados selos próprios: Pesquisa, Inovação e Ousadia, em referência ao lema comemorativo pelos 55 anos da UnB, e Ensino de Graduação.

“A ideia é que os selos sejam permanentes. A editoração é um processo longo, que demanda muitas idas e vindas e por isso é resultado de uma parceria intensa e bem-sucedida”, destacou a diretora da Editora UnB (EDU), Germana Henriques.

EXPERIÊNCIA TRANSFORMADORA – O professor Cleyton Gontijo (FE) é um dos autores de Criatividade em matemática, ao lado de três pós-graduandos. “Nosso grupo de pesquisa, que trabalha na área voltada para o pensamento crítico e criativo em matemática, desenvolve estudos com foco em melhorar os processos de ensino e aprendizagem nas salas de aula em educação básica”, explicou.

Como o grupo realiza investigações com alunos de ensino fundamental e médio, o objetivo do livro é apresentar novas perspectivas de ensino da disciplina para professores e demais interessados no campo da matemática: “A linguagem é muito direta e clara para que os educadores possam compreender e adaptar às suas práticas”.

“A expectativa é favorecer que os estudantes passem a gostar de matemática, a se interessar pela área enquanto carreira profissional e a associá-la com desenvolvimento científico e tecnológico; e que o conhecimento possa servir para a sua formação educacional no futuro”, almeja.

Uma das autoras de Histologia prática, a docente Carla Medeiros (IB) conta que o livro é fruto de muitos anos de trabalho, tendo surgido de apostila desenvolvida em 2004. “Nós sempre desenvolvemos material didático, mas na época não havia espaço para edição de livros com esse perfil”, disse. Ela entende que hoje a Universidade se preocupa com a evasão de alunos e por isso tem apoiado publicações como essas.

O mestrando Bernardo Romão, que participou como coautor da obra, contou que foi interessante perceber como é possível aprimorar recursos didáticos já usados em sala de aula. “É essencialmente um livro de exercícios. Para produzi-lo, começamos a melhorar o que já existia do material.”

Equações diferenciais originárias e série de potências é um dos títulos da série Ensino de Graduação, tendo sido publicada em coautoria pelos professores Mauro Patrão e Lucas Seco (MAT). “Foi muito interessante essa novidade de ter um coautor. Cada um tinha uma experiência um pouco diferente, o que contribuiu muito para enriquecer a obra, que teve várias versões antes de ser submetida para publicação”, apontou Mauro.

“Uma das motivações principais foi a reforma de cursos. Não havia uma bibliografia tão adequada para a disciplina que virou um novo Cálculo II. Foi recompensador desenvolver um material mais adequado a essa demanda”, frisou.

O PAPEL DO LIVRO – As autoridades que compuseram a mesa da solenidade ressaltaram a importância dos livros para a difusão do conhecimento. “Eu quero parabenizar antes de tudo os autores, pois sabemos que o livro tem uma dimensão diferente de um artigo científico. Ele marca a nossa vida e representa um elemento de destaque da biografia”, refletiu o vice-reitor Enrique Huelva.

Para ele, é necessário promover o livro não apenas como produto final, mas os processos por trás de seu desenvolvimento, uma vez que escrever é produzir o conhecimento no ato da escrita. “Para algumas áreas, como ciências humanas e sociais, é a principal forma de produção científica.”

A reitora Márcia Abrahão lembrou que o movimento de difusão de novas obras começou à época do Reuni, quando ela era decana de Ensino de Graduação. “Retomamos a tarefa de valorizar a produção acadêmica, dando oportunidades à comunidade universitária para produção de obras voltadas ao ensino”, pontuou.

“É um privilégio de nossa instituição ter uma editora, principalmente porque ela não se esquece da graduação. O DEG entende e valoriza essa iniciativa”, declarou o decano de Ensino de Graduação, Sérgio de Freitas.

Também é esse o entendimento da decana de Pós-Graduação, Adalene Moreira. “Já estamos com um novo edital (DPG/DPI nº 3/2019) e esperamos uma forte adesão. A data limite para submissão de propostas é 13 de agosto”, informou.

Diretora de Pesquisa e Inovação, Cláudia Amorim representou a decana de Pesquisa e Inovação, Maria Emília Walter. Ela agradeceu a parceria entre editora e decanatos: “O DPI tem alcançado resultados positivos em função do trabalho coletivo”. Sobre a escolha das obras, ela lembrou que um dos critérios utilizados foi a prioridade por grupos de pesquisa em rede e filiados ao CNPq.

INICIATIVAS – Em relação aos projetos desenvolvidos pela Editora UnB, a diretora Germana Henriques afirmou que tem recebido apoio da atual gestão para publicar obras que alavanquem os cursos de graduação e os programas de pós-graduação.

“Em paralelo, também estamos trabalhando no fomento e implementação de editais de obra com acesso aberto e livre”, acrescentou. Como incentivo à produção de conteúdo de acesso livre, foi criado o selo UnB Livre (edital EDU/BCE nº 1/2018), que comunica com todas as plataformas de acesso aberto do mundo.

Germana falou ainda dos editais da própria editora e informou que, só em 2019, já foram lançados mais de 15 títulos. Um projeto em andamento diz respeito à disponibilização de parte das obras na plataforma Scielo.

 

Livros lançados:

• A literatura movente de Chimamanda Adichie
Cláudio R. V. Braga

• Criatividade em matemática 
Cleyton Hércules Gontijo, Alexandre Tolentino de Carvalho, Mateus Gianni Fonseca e Mateus Pinheiro de Farias

• Equações diferenciais originárias e série de potências 
Lucas Seco e Mauro Patrão

• Harmonia funcional – progressão de acordes
Bojin Iliev Nedialkov e Flávio Santos Pereira

• Histologia prática 
Carla Medeiros Y. Araujo, Bernardo Romão de Lima e Silene P. Lozzi

• Latim – língua e cultura 
Michele Eduarda Brasil de Sá

• O negro no mundo dos ricos 
Emerson Ferreira Rocha

• Navegue pelas belas paisagens do Cálculo – volume III
Celius A. Magalhães

• Viver o jornalismo: a entrevista no dia a dia da profissão
Thaïs de Mendonça Jorge

Compartilhar