Pronatec terá em 2015 um terço do total de vagas oferecidas ano passado

Pronatec terá em 2015 um terço do total de vagas oferecidas ano passado

Ministro da Educação diz que o governo busca evitar “maiores prejuízos” e que atraso foi por falta de recursos

BRASÍLIA – O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou nesta quarta-feira que o governo abrirá mais de um milhão de novas vagas no Pronatec este ano. A estimativa corresponde a um terço das três milhões de matrículas registradas em 2014 no programa, que foi uma das vitrines da presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral que levou à sua reeleição.

Janine anunciou o tamanho da redução no número de vagas nesta manhã durante audiência pública na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. O Ministério da Educação (MEC) havia informado que o Pronatec seria redimensionado em função de cortes no orçamento feitos este ano como parte do ajuste fiscal. Mas não havia, até então, previsão de quantas vagas seriam criadas.

— Estamos administrando isso (os cortes no orçamento) com o cuidado, com o carinho de evitar maiores prejuízos. Na última semana, liberamos mais de R$ 270 milhões para as entidades afiliadas (ao Pronatec). Se houve atraso, não foi absolutamente por vontade, foi por falta de recursos — afirmou Renato Janine durante a audiência.

As inscrições para o programa, que deveriam ter acontecido em maio, foram adiadas para este mês. Segundo o site do Pronatec, a janela para quem quiser se inscrever ficará aberta de 22 a 26 de junho. A matrícula dos candidatos aprovados na primeira chamada deve acontecer de 1 a 3 de julho. O resultado da segunda chamada será divulgado no dia 7 de julho, e a matrícula acontecerá entre 8 e 10 de julho.

O corte deste ano interrompe um histórico de crescimento no número de vagas. O Pronatec teve início em 2011, quando houve cerca de 770 mil matrículas. Logo no ano seguinte, o programa registrou 1,6 milhão de estudantes. Já em 2013, foram 2,7 milhões, enquanto, em 2014, houve um total de 3 milhões de matrículas.

Renata Mariz – O Globo

Compartilhar