Prouni rende isenção fiscal de R$ 4 bi a faculdades privadas

Prouni rende isenção fiscal de R$ 4 bi a faculdades privadas

Desde a criação do Prouni, em 2005, instituições privadas de ensino superior deixaram de pagar R$ 3,97 bilhões em tributos federais.

Ao aderir ao programa, que concede bolsas integrais e parciais (50% da mensalidade) a alunos de baixa renda, as faculdades recebem isenção sobre quatro impostos e contribuições federais: Imposto de Renda, PIS, Cofins e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido).

“O programa é vantajoso para todos: governo, instituições e sociedade”, afirma Solón Caldas, diretor-executivo da ABMES (Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior).

Neste semestre, 919 instituições privadas ofertaram bolsas do Prouni -o que representa cerca de 45% do total de particulares no país.

Os valores da isenção fiscal cresceram até 2010, quando o montante chegou ao auge: naquele ano, a renúncia foi de R$ 676,4 milhões, em valores atualizados.

No ano seguinte, após críticas do TCU (Tribunal de Contas da União), o Ministério da Educação mudou as regras para o cálculo do benefício. A partir de então, a isenção ficou vinculada ao preenchimento das vagas do programa e não à quantidade ofertada pelas instituições.

A mudança foi para evitar que a União pagasse por vagas não preenchidas.

“Há um jogo de ganha-ganha: são vagas que no fundo estavam ociosas. As escolas ampliam o uso [da sua infraestrutura] e um conjunto muito grande de pessoas têm acesso ao ensino superior”, diz Amaury Gremaud, professor da Faculdade de Economia da USP Ribeirão Preto.

PERDIDO

Até o primeiro semestre deste ano, mais de 1,2 milhão de estudantes foram atendidos por meio do Prouni.

“Sem o programa eu estava perdido ou teria que voltar pra roça e ficar na enxada”, afirma Absalon Pereira Alves, 52, bolsista integral do curso de direito na Universidade Católica de Brasília.

Alves fugiu de casa adolescente. Chegou a morar nas ruas de São Paulo e sobreviveu fazendo bicos. Concluiu os estudos pelo EJA (Educação de Jovens e Adultos ) e fez o Enem três vezes até ter a pontuação mínima para disputar uma vaga. No 9º semestre de direito, quer fazer concurso para defensor público.

Primeiro da família a ingressar no ensino superior, Cristiano Dantas de Almeida, 39, diz que os estudos vão contribuir para uma melhora nas finanças. “A carreira médica é promissora no país”, pondera ele, estudante do 5º semestre do curso.

 

 

Flávia Foreque – Folha de São Paulo

The Importance of a Fashion Design Philosophy
watch game of thrones online free 10 Fantastic Fads of the 1990s

Perfect Marketing Ideas For Your Firm
free online games Something like that

Lynx WOMEN’S MARILYN FASHION CART BAG
cheap prom dresses For all the bemoaning your grandparents do about the end of the

Prevailing Gucci Exclusively For Brilliant Lady
cheapest flights That’s what it’s all about

7 Reasons Why You Can’t Go Wrong with Black Picture Frames
forever 21 learning college needed to become fashion designer

The Best Wrinkle Firming Creams
jeu gratuit style trends to highschool for males

Baby Outfits or Lingerie for Children
ballkleider and then the caps will go into production

7 chic hairstyles for the summer
cool math how to put on a cheap hat

Compartilhar