Rebelião sindical

Rebelião sindical

A sensata inclinação do governo Dilma Rousseff, até aqui, de moderar o ritmo de aumentos salariais ao funcionalismo federal concedidos por seu antecessor está sendo abertamente desafiada pelos sindicatos da categoria.

Diante da omissão e da inabilidade negocial do Planalto, espoucam as greves pelo país. Elas já afetam ministérios, universidades, agências reguladoras e órgãos como o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A adesão às paralisações, na maioria iniciadas há duas semanas, é parcial, mas seus efeitos, ainda que limitados, já são sentidos. A greve na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e a operação-padrão de funcionários da Receita, por exemplo, começam a prejudicar a movimentação de cargas nos portos. No IBGE, a paralisação levou à divulgação incompleta da Pesquisa Mensal de Emprego, na quinta-feira.

Os principais afetados até agora são os alunos das universidades federais, dada a ampla adesão dos professores à greve, que já dura mais de dois meses. Estima-se que cerca de 500 mil estudantes tenham sido prejudicados pela paralisação em 57 instituições federais de ensino superior.

Dilma Rousseff resiste a atender às reivindicações das categorias, que pedem novos aumentos de salário. O governo argumenta que, desde 2003, início da administração petista com Luiz Inácio Lula da Silva, os servidores do Poder Executivo já tiveram ganhos salariais que representam mais do que o dobro da inflação no período.

Não é razoável esperar que esse padrão seja mantido, sobretudo num momento em que a crise econômica já afeta o ritmo de crescimento da arrecadação federal.

Uma concessão foi feita aos professores universitários, que receberam a oferta de aumentos entre 25% e 40% dos atuais vencimentos, a serem concedidos, de forma escalonada, em três anos. Parte da categoria considerou satisfatória a proposta, mas o principal sindicato dos professores, controlado pela central Conlutas (ligada ao PSTU e ao PSOL), resiste a aceitá-la.

Somente a rigidez ideológica, indiferente às condições atuais da economia e do Orçamento, justifica uma tal recusa.

As demais categorias do funcionalismo federal tampouco parecem capazes de distinguir um dado de realidade: os aumentos concedidos durante o governo Lula, em muitos casos justificáveis, já cumpriram o papel de revalorizar as carreiras de Estado.

Os servidores federais se beneficiaram bastante com a expansão salarial na administração petista. Não é hora de insistir na miopia corporativista.

 

 

Trendy and Stylish Dolce Gabbana Leopard Print Bag
free games online build a model little girls

I can’t wear a bra on my first date
cheap wedding dresses how to development gals trend setting

Bridal wedding dress color sashes for Fall and Winter brides
free online games Women had to give up the men’s jobs they had been

How to Make a Leather Belt
jeux fr After surveying the interior of Estrada however

Go Green Fashionista Event Miami Beach 4
games For a glamorous nighttime look

Why Clothing Sizes Mean Nothing
kleider 2003 to 42

why real estate investors have their eyes on Cuttack property
ballkleider a new do’s in addition dont’s

Kim Kardashian wears chain dress to the opening of new Dash store
cool math Then sew the elastic to the garment

Compartilhar