Reitores participam do XIX Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa

Reitores participam do XIX Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa

Os reitores Paulo Gabriel Nacif (UFRB), Álvaro Prata (UFSC), Targino Araújo (UFSCar), Luiz Cláudio Costa (UFV), Mirian da Costa (UFCSPA), Ronaldo Pena (UFMG), José Geraldo de Sousa (UnB) e Carlos Alexandre Netto (UFRGS) participaram do XIX Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (Aulp), realizado em Luanda, entre os dias 12 e 14 de maio. O atual presidente da entidade, reitor Ronaldo Pena (UFMG) coordenou o encontro, que teve como tema “Direito, Cidadania e Desenvolvimento”.

Durante o encontro foram debatidos problemas relacionados com o desenvolvimento da investigação científica, a densificação das redes sociais, questões institucionais relacionadas à transferência dos valores sociais, orientações normativas, assim como as reformas legislativas em curso nos diferentes terrenos onde se inscreve a lusofonia.

O reitor da Universidade de Brasília (UnB) José Geraldo de Sousa ressaltou a presença de autoridades no evento, como o governador e o ministro de Educação Superior de Luanda. “Os participantes puderam formar relacionamentos, estabelecer contatos”, analisou José Geraldo. Entre as parcerias, o reitor destacou a Universidade Agostinho Neto, que manifestou expectativa de cooperação com universidades brasileiras em diversas áreas, para formação de quadros na graduação e na pós-graduação.

O reitor da Universidade Federal de Viçosa (UFV) Luiz Cláudio Costa ressaltou que Angola, por exemplo, tem um projeto de país que conta com o apoio das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) brasileiras: “A secretaria de educação superior deixou claro que eles contam com a gente nesse projeto”. Segundo o reitor Luiz Cláudio, o embaixador do Brasil em Angola, Afonso Cardoso, enfatizou a demanda por profissionais da área de saúde, principalmente médicos, devido à defasagem africana nessa área.

O reitor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Targino de Araújo explicou que, depois deste contato inicial, a ideia é mapear as possibilidades de cooperação entre as universidades de língua portuguesa. “Devemos conversar no âmbito da Comissão de Relações Internacionais (Cria) da Andifes e dar um retorno sobre o que se pode fazer”, explicou.

Andifes
O reitor Carlos Alexandre Netto (UFRGS), presidente da Comissão de Relações Internacionais (Cria) da Andifes coordenou uma mesa-redonda, da qual participou também o reitor Álvaro Prata (UFSC) e o embaixador Afonso Cardoso. A discussão abordou o papel das Ifes brasileiras no espaço da lusofonia. “O foco esteve na importância da internacionalização das atividades  acadêmicas, uma internacionalização solidária, mais voltada principalmente para as universidades africanas”, explicou o reitor Carlos Alexandre.

De acordo com o presidente da Cria, as interações resultantes do XIX Encontro da Aulp serão aprofundadas no âmbito da Comissão. Carlos Alexandre Netto também destacou que as universidades brasileiras já são reconhecidas pelo importante papel que tem desempenhado, e pelos avanços já conseguidos por meio das parcerias com universidades africanas de língua portuguesa.

Aulp
Fundada em 1986, a Associação das Universidades de Língua Portuguesa reúne hoje mais de 140 instituições de ensino superior e de investigação científica dos nove países que têm o português como única ou uma das suas línguas oficiais: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau (região com administração especial da República Popular da China), Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Consolidada como a vertente acadêmica da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a Aulp articula as relações entre os espaços acadêmicos e científicos nos diferentes países de língua portuguesa, que representam o terceiro grupo linguístico mais numeroso em termos populacionais (cerca de 220 milhões de pessoas).

 

Compartilhar