Reitoria, DCE e NEAB endossam a discussão sobre a ampliação de ações afirmativas à pós-graduação

Em reunião realizada na última segunda-feira, 3, a reitora Nair Portela e o vice-reitor e pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Fernando Carvalho, acolheram a proposta de implantação do projeto “Debates e Seminário sobre Ações Afirmativas na Pós-Graduação da UFMA”. O projeto visa à integração dos câmpus da Universidade Federal do Maranhão no processo de construção de ações afirmativas para negros, indígenas, quilombolas, ciganos, quebradeiras de coco babaçu, pessoas trans e pessoas com deficiência.

 Segundo o pró-reitor, o debate sobre a ampliação das cotas entre os programas de pós-graduação da UFMA ocorre desde a publicação da portaria normativa que define a reserva de vagas a negros, indígenas e pessoas com deficiência, publicada pelo MEC em 2016. “Essa proposta já está sendo discutida entre os programas de pós-graduação que têm autonomia para implementar as políticas de ações afirmativas”.

Para a reitora Nair Portela, a proposta é promissora para a universidade. “A UFMA foi uma das primeiras instituições a implantar as cotas de graduação. E esse é um debate normal que demonstra avanço da universidade no quesito inclusão”, ressaltou.

O professor Richard Christian Pinto dos Santos, do Neab, destacou que o debate “é importante para levantar de maneira ampla e democrática o desenvolvimento do projeto”. Também participou da reunião o professor aposentado Luiz Alves Ferreira, referência em estudos africanos e afro-brasileiros no Maranhão, que pontuou aspectos históricos a serem considerados no debate no ponto de vista intelectual e cultural.

Compartilhe: