Relação entre literatura e a sociedade escravista brasileira retratada por Gonçalves Dias é tema de livro lançado em São Carlos

Relação entre literatura e a sociedade escravista brasileira retratada por Gonçalves Dias é tema de livro lançado em São Carlos

A EdUFSCar publicou, recentemente, o livro “Gonçalves Dias: o poeta na contramão – Literatura e Escravidão no Romantismo Brasileiro”, de autoria do professor do Departamento de Letras da UFSCar Wilton José Marques. A obra é resultado das pesquisas de pós-doutorado desenvolvidas pelo docente entre os anos de 2002 e 2003 no Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com financiamento da Fapesp.

O livro aborda o papel do escritor na sociedade brasileira escravista do século XIX, num momento em que a maioria dos intelectuais brasileiros era remunerada pelo Estado e se resignava a uma espécie de cumplicidade, principalmente na omissão em assuntos como a escravidão. Wilton Marques destaca que a troca de favores, mediadora das relações entre os intelectuais brasileiros da época e o Estado, levou os escritores românticos a não tocarem no tema da escravidão de maneira mais explícita, disfarçando, em suas interpretações do Brasil, a violência que sempre reinou na esfera da produção.

A obra escrita por Wilton José Marques aprofunda as interpretações do livro “Meditação”, uma crítica ferrenha à escravidão escrita por Gonçalves Dias e publicado em 1850. Apesar de “Meditação” situar-se numa posição marginal à história literária, Gonçalves Dias produziu uma obra que se caracteriza não apenas por ser avessa às expectativas românticas oficiais, mas, sobretudo, por trazer em si todos os elementos necessários à explicitação das várias mazelas sociais do Brasil oitocentista, o que, por tabela, traduz-se num gesto inconteste de denúncia. A publicação de “Meditação”, a despeito de possíveis ressentimentos e/ou censuras, representa simbolicamente uma verdadeira afronta à política do favor e, ao mesmo tempo, reflete o desejo do poeta de interferir, ao menos literariamente, no aperfeiçoamento do processo formativo da sociedade brasileira, cuja ascensão à civilidade, para ele, passava pelo fim do trabalho escravo.

O livro “Gonçalves Dias: o poeta na contramão – Literatura e Escravidão no Romantismo Brasileiro” já está disponível para venda na Livraria da EdUFSCar, localizada na área Norte do campus São Carlos e também pela internet, em www.editora.ufscar.br. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3351-8962. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3351-8962.

 

 

Compartilhar