Restam só 150 vagas pelo Sisu

Restam só 150 vagas pelo Sisu

Está chegando ao fim a seleção de candidatos por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que possibilita a inscrição dos estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2009 em uma das 51 instituições de ensino superior que adotaram a nota como forma de seleção. O Ministério da Educação (MEC) divulgou ontem o resultado da segunda etapa, que registrou a inscrição de 550.972 estudantes e a seleção de 29.090. Essa fase disponibilizou 29.240 vagas; assim, a terceira e última etapa oferecerá, teoricamente, 150 cadeiras.

Teoricamente porque na primeira fase foram abertas 47.900 vagas e 47.680 candidatos acabaram selecionados, mas na hora de efetuar a matrícula sobraram 60% das vagas. Questionada sobre a possibilidade de isso voltar ocorrer, a secretária de Educação Superior do Ministério da Educação, Maria Paula Dallari Bucci, afirmou que a atual etapa deve mostrar um comportamento diferente. “O que a gente sabe é que o resultado de grandes universidades, como a USP, foi divulgado na mesma época. Assim, muitos acabaram fazendo a inscrição nelas. Mas essa semelhança nas datas foi boa, pois evitou uma coisa que acontece muito, que é os alunos se matricularem em mais de uma instituição para garantir a vaga. Agora, não há mais nenhuma universidade para liberar resultado”, explica.

O processo de matrícula será aberto hoje e pode ser realizado até a próxima sexta-feira. O aluno precisa comparecer à instituição e cumprir todo o procedimento solicitado, que inclui a apresentação de documentos.

A secretária de Ensino Superior do MEC fez um balanço positivo do sistema. “Os estudantes podem ir para outra cidade, usar a nota para opções que eles nem pensavam e descobrir instituições e cursos que eles não sabiam que existiam”, comemorou.

Portanto, a secretária não descartou possibilidades de mudanças no portal. Quando terminar a terceira etapa, que se inicia em 1º de março e vai até o dia 3 do mesmo mês, o órgão fará um balanço para definir se será necessário realizar ajustes. “É possível, sim, que haja mudança. Mas vale lembrar que todo grande processo, como o da Receita Federal, que está no ar há 20 anos, sofre aprimoramentos e ajustes. E o nosso, a princípio, se mostrou atualizado e apropriado. Vamos esperar o processo terminar para tomar as providências. Mas o sistema veio para ficar.”

Se depender da opinião dos candidatos, as mudanças terão, sim, que acontecer. Leonardo Aires Coelho, 20 anos, mesmo com a conquista de uma vaga nessa segunda etapa no curso para medicina na Universidade Federal de Pelotas, a quarta mais procurada pelos estudantes, afirma que, para ser completo, o sistema de seleção precisa ser aprimorado. Ele criticou também a estrutura da prova. “Eu esperava um prova mais difícil, até pelo simulado que a gente realizou dias antes. Mas eu entendi que tinha que ser um exame bom, pois o país inteiro iria realizar. Em relação ao Sisu, acredito que faltou um pouco de organização. Na primeira etapa, eu tive muita dificuldade. Pelo menos, na segunda, o MEC resolveu os erros que estavam dando”, completa.

Luiza Seixas
Caderno Educação – Brasil
Correio Braziliense

Compartilhar