Secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde é recebido na UFRGS

Secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde é recebido na UFRGS

Eduardo de Azeredo Costa conheceu projetos desenvolvidos em parceria com o Ministério e afirmou a disponibilidade de recursos para pesquisa de combate ao Aedes Aegypti

Em momento de grande infestação de Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus – este associado aos casos de microcefalia – a Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos está dando altíssima prioridade para tecnologias que combatam esse vetor. Em busca de apropriar-se do que a UFRGS produz nesse sentido e para conhecer projetos em outras áreas, está na Universidade o secretário desta pasta no Ministério da Saúde Eduardo Costa.

Ao ser recebido pelo reitor Carlos Alexandre Netto, Costa informou que a tarefa de obter uma solução para diminuir a incidência do mosquito está com a sua secretaria, por isso procura conhecer as iniciativas das Universidades. Na reunião desta manhã, foi apresentado o projeto desenvolvido pelo professor Gonçalo Ferraz (Biociências) que envolve uma substância que imita um hormônio do Aedes e inibe o desenvolvimento da larva. A professora Onilda Santos da Silva (ICBS) comentou sobre pesquisas que desenvolve há 15 anos sobre controle da população de mosquitos, incluindo bactérias e substâncias farmacêuticas.

Segundo Costa, o Ministério está reunindo iniciativas nesse sentido e vai prover financiamento às principais pesquisas com vistas a desenvolver tecnologia a ser empregada. O interesse em apoiar rapidamente essas pesquisas é de altíssima prioridade, disse.

Outro tema que motivou a conversa desta manhã foi a produção de dispositivos com tecnologia nacional para empregar no SUS. Os dados do MS mostram que o custo médio desses equipamentos e dispositivos (como próteses) no Brasil é de cerca de 20 vezes mais do que na Inglaterra, informou o secretário. Esse é um ramo industrial muito propenso a investimentos por parte do governo federal. Toda tecnologia empregada em saúde deve passar por homologação, durante seu processo de desenvolvimento. Nesse meio que se insere o CRETIES (Centro de Referência em Avaliação de Tecnologias e Insumos Estratégicos em Saúde), laboratório da Escola de Engenharia. O CRETIES trabalha com mecanismos de validação rigorosos para garantir a segurança e eficácia das tecnologias da saúde disponibilizadas à população, com competência especializada no desenvolvimento, qualificação e validação de equipamentos e sistemas de imagens médicas.

Tomaram parte na reunião o diretor do Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Jorge Valadares Oliveira, o chefe de gabinete, João Roberto Braga de Mello, o diretor da Escola de Engenharia, Luiz Carlos da Silva Pinto, e a servidora do CRETIES, Ana Rita Facchini. Após o encontro, os visitantes foram conhecer as instalações do CRETIES na Escola de Engenharia.

ACS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Compartilhar