Sistema de Informações reunirá indicadores para Fundações de Amparo à Pesquisa

Sistema de Informações reunirá indicadores para Fundações de Amparo à Pesquisa

Nos dias 17 e 18 de março, em Brasília, ocorre a primeira reunião do Grupo de Trabalho (GT) que vai desenvolver o Sistema para indicadores de C&T das Fundações de Amparo à Pesquisa (Sifaps). O GT foi formado durante reunião do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) e reúne 15 Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs). O principal objetivo é criar um sistema de indicadores que responda às necessidades das FAPs em termos de gestão.

Segundo o coordenador do GT e diretor científico da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc), César Zucco, o Sifaps busca cumprir dois objetivos fundamentais: gestão de recursos e prestação de contas. "Os indicadores contribuirão para que as FAPs possam gerir melhor os recursos, saber para onde direcioná-los e prestar contas à socidade, informando para onde os recursos estão indo", diz.

A ideia de criar o sistema surgiu em 1997, em uma reunião do Fórum das FAPs, atual Confap. A expectativa inicial era a criação de um sistema que gerenciasse, controlasse e, de certa forma, padronizasse o trabalho das FAPs. Ele não foi viável, uma vez que cada instituição estava em um estágio gerencial diferente, algumas já tinham seu próprio sistema e outras não tinham sistema algum.

Em 2007, em uma nova reunião, foi proposta a criação do Sifaps. Para a realização dessas atividades, os membros da comissão propuseram a criação de um grupo de trabalho permanente, multidisciplinar e multi-institucional, composto por representantes de FAP's, Secretarias, Ministério de Ciência e Tecnologia, Educação, Saúde, e outras instituições que compõem o Sistema Nacional de CT&I. No GT "Sistemas de Informação" do Confap, 15 FAPs contribuirão com os indicadores, além de uma equipe técnica, formada por pesquisadores do Programa de Pós-graduação de Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Para reunir os indicadores, cada FAP participará com dois representantes, sendo um da área técnica, que coordenará as atividades relativas à elaboração e à utilização de indicadores, e o outro da área de Tecnologia da Informação, que será responsável pela adequação e viabilização das questões técnicas definidas nas reuniões do grupo.

Acontecerão quatro reuniões – nos meses de março, junho, agosto e novembro. Ao final do processo, o sistema estará montado e caberá às FAPs acessá-lo e alimentá-lo. O Sifaps terá acesso livre ao público, a fim de melhor divulgar as ações das instituições participantes.

 

Compartilhar