Ufal implantará curso de Medicina no Campus Arapiraca

Ufal implantará curso de Medicina no Campus Arapiraca

A previsão é que a primeira turma comece em 2015; serão investidos cerca de R$ 27 milhões em infraestrutura

Em breve, Alagoas ganhará mais um curso de Medicina. Na última terça-feira (21), o Conselho do Campus Arapiraca aprovou, por unanimidade, a implantação do novo curso na Universidade Federal de Alagoas, que funcionará no Agreste do Estado. A deliberação prevê início das aulas para o primeiro semestre de 2015. Será mais uma oportunidade de formação da graduação à residência médica, que colocará no mercado de trabalho profissionais para atender à demanda da comunidade local.

A implantação das 60 novas vagas de Medicina em Arapiraca é resultado do empenho do governo federal em criar novas escolas médicas no Brasil e da gestão superior da Ufal, que aceitou a proposta do MEC e, a partir de agora, colocará em prática um sonho antigo e item presente em seu plano de desenvolvimento institucional. “O sonho de implantar o curso de Medicina na Região Agreste não é só da Ufal; é também o desejo da comunidade acadêmica e da sociedade alagoana. Com isso, estamos no caminho certo para tornar o Campus Arapiraca um novo centro de referência para o ensino da Medicina”, ressaltou o reitor Eurico Lobo.

Para o pró-reitor de Graduação, Amauri barros, além do trabalho conduzido pelo reitor, a nova conquista foi conseguida com o empenho da diretoria e do corpo docente do Campus Arapiraca e teve o apoio da Prefeitura de Arapiraca e da comunidade do Agreste.  “A elaboração do projeto para criação do curso de Medicina teve início em outubro de 2012, quando o reitor Eurico Lôbo baixou uma Portaria designando uma comissão de 20 representantes para trabalhar a proposta pedagógica, o projeto arquitetônico e a seleção do quadro de técnicos e docentes. No último dia 21 foi vencida a primeira etapa”, destacou.

Coordenado pela professora do curso de Enfermagem, Juliana Marques, o projeto foi apresentado, em conjunto com a diretora acadêmica do Campus Arapiraca, Eliane Cavalcanti, para o conselho daquela unidade e todos aprovaram a execução da proposta.

Cursos inovadores

A proposta de criação de novas vagas de Medicina foi incentivada pelas desigualdades na distribuição e dificuldades de fixação de médicos, de escolas e de serviços de saúde no País, o que faz crescer a escassez de profissionais da área em locais remotos e vulneráveis. Para tentar resolver essa situação, serão criados cerca de 25 cursos no Brasil, a maioria deles em cidades do interior, como Arapiraca-AL, Lagarto-SE, Paulo Afonso-BA e Caruaru-PE.

De acordo com Amauri Barros, os novos cursos são inovadores e surgem com conceito diferenciado. “Agora serão aplicadas metodologias ativas, com modelo PBL [do inglês Problem-Based Learning, ou Aprendizado Baseado em Problemas]. É um modelo de currículo bem diferente do tradicional. No modelo tradicional, o professor é visto como detentor absoluto do saber, mas com a reformulação (no modelo PBL) o aluno é protagonista do seu conhecimento e está no campo da prática desde o primeiro momento. Assim, os discentes estarão na busca constante pela construção do conhecimento”, explicou.

O pró-reitor destaca que a assistência médica à população em situação de vulnerabilidade está entre os objetivos do Ministério da Educação, do Ministério da Saúde e da própria universidade. “O curso contemplará graduação e residência médica. A ideia é que tenhamos médicos que atuem, diretamente, na comunidade e que estejam voltados para ações de atenção primária, além de Medicina preventiva e respeito à realidade da comunidade local. Nosso intuito é a construção de um curso consistente e a formação de profissionais que atendam à comunidade, por meio da rede pública de saúde, das UPAs [Unidades de Pronto Atendimento], dos hospitais conveniados e demais órgãos”, salientou.

Amauri lembra que, em março deste ano, representantes da direção do Campus Arapiraca e da Pró-reitoria de Graduação (Prograd) participaram de capacitação sobre o Processo de Expansão do Ensino Médico nas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), em Brasília. “Tudo isso foi importante para construirmos um novo momento na Ufal. Teremos não só a graduação, mas já estamos pensando no projeto de residência médica do novo curso, que irá vislumbrar áreas como Clínica Médica, Traumatologia e Pneumonologia, que são as principais necessidades do interior de Alagoas. Esse é um dos requisitos do planejamento estratégico do projeto pedagógico, que também engloba aperfeiçoamento de atividades”, justificou.

Números e impactos

O início das aulas está previsto para o primeiro semestre de 2015. Serão ofertadas 60 vagas para alunos da graduação, com possibilidade de ampliação. A proposta é de que o quadro de funcionários seja composto por 60 docentes e 30 técnicos. Ao todo, serão destinados cerca de R$ 27 milhões em recursos para infraestrutura do novo curso, que já tem projeto arquitetônico finalizado e os complementares estão em processo de licitação.

Para Amauri Barros, o ensino de Medicina no interior alagoano é um grande passo para o Estado. “O curso trará inúmeras vantagens, como consolidação da área da saúde; sinalização de novos cursos, como Odontologia, Fisioterapia e Nutrição; atendimento a um grande anseio de Arapiraca; e melhorias nos serviços de saúde”, ressaltou.

 

Ascom Ufal 

Fashion Tips for Middle Age Women
free games online encyclopedia articles

How To Invest With Fashion Trends
online games But these lustful beasts had better watch out

What Did the Men Wear in the Roaring Twenties
cheap flights the transfer looks really solid with clean lines and bold colors

4 New Designer Sunglasses To Beat The Heat This Season
onlinegames maggie street sleeveless expected the fashion industry polo

Julia Stiles visits Christina K
jeux No different with Into Darkness

True Blood Mania TV Review
games Well for starters

Invest In A Silk Kimono Robe
kleider model suggest gift plastic carrier bag innovations

6 Insane True Stories Too Awesome for a Chuck Norris Movie
ballkleider what’s hot to receive 2009

Compartilhar