Ufam tem participação em ação humanitária inédita na América do Sul

Estudantes dos cursos de Medicina e Odontologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) participaram, de forma ativa, da maior operação militar de exercício de socorro humanitário já realizado na América do Sul. Uma grande e complexa estrutura, de aproximadamente 51 mil metros quadrados de área, foi construída em Tabatinga, município situado no Alto Solimões, para sediar o evento intitulado Amazonlog17.

Do dia 06 ao dia 13, o grupo composto por onze alunos, sendo seis da Medicina e cinco da Odontologia, praticaram protocolos para socorro a vítimas em caso de catástrofes na região da tríplice fronteira amazônica. Foram realizadas simulações de salvamento de vítimas de incêndios florestais, terremotos, secas, enchentes, acidentes com embarcações e também de medidas humanitárias para casos de grande contingente de deslocamentos humanos, como no caso de refugiados.

Na oportunidade, eles atuaram também, dando suporte médico a populações tradicionais da região, ribeirinhos e às comunidades indígenas do Brasil e dos países vizinhos previamente cadastrados. Cada aluno desempenhava suas funções no exercício sob a orientação e monitoria de professores de um professor do seu respectivo curso.

Visita oficial – A coordenação do Amazonlog elegeu o dia 9 de novembro para receber e apresentar às autoridades parceiras da iniciativa, a estrutura montada. No auditório do Aeroporto de Tabatinga, o pronunciamento foi iniciado pelo comandante logístico da ação, general do Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira e procedida pelo coordenador geral do Amazonlog 2017, general Racine Bezerra Lima Filho. Este apresentou aos gestores da Ufam, professor Sylvio Puga e aos representantes do Instituto Federal do Amazonas (Ifam), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e Polícia Federal, entre outros, a Sala de Armamentos, área de triagem e estada de imigrantes/refugiados, o Posto Médico e a Área de Recreação. As autoridades também puderam conferir o Setor de Logística e de Inteligência. A visita foi guiada pelo comandante do Exército Brasileiro, o general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas.

Amazonlog em números – Mais de 1.940 militares brasileiros, 350 civis e 490 militares estrangeiros trabalharam para que o exercício humanitário pudesse ser realizado. Os exercícios contaram com a utilização de onze aviões, 13 helicópteros.

Entre os parceiros, constaram 22 agências governamentais e 29 empresas, que fizeram uso do que há de mais moderno no que tange a equipamentos e materiais bélicos.

Fonte: Por Carla Santos Equipe Ascom

Compartilhe: