UFCA – Universidade e jovens da zona rural se reúnem para debater agricultura familiar

UFCA – Universidade e jovens da zona rural se reúnem para debater agricultura familiar

Nesta quinta-feira, 8, estudantes e professores do curso de Agronomia da UFCA, ao lado de jovens do Assentamento 10 de Abril, do Crato, e observadores de outras universidades da região estiveram reunidos no campus de Crato para participar do I Seminário dos Programas Institucionais de Extensão (PIEs).

Cerca de 100 pessoas registraram inscrições, número que superou a expectativa da organização do evento. Eles debateram a participação da agricultura familiar, ramo responsável por 70% da produção de alimentos para a população brasileira.

Na avaliação do coordenador do PIE de Tecnologias Socioambientais, professor Giovani Tavares, “o encontro da comunidade acadêmica com profissionais técnicos e os jovens presentes visa articular a coincidência de propostas para a agricultura. Essa oportunidade é para garantir o empoderamento dos jovens no campo, valorizando o seu local”.

No período da manhã, eles compartilharam experiências em torno das políticas públicas e inovações na agricultura, em suas dimensões local e internacional. A professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Iracema Ferreira de Moura, falou sobre o cenário governamental no campo do desenvolvimento agrário, tratando, em especial, sobre a dinâmica da execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Sob perspectiva do desenvolvimento regional, a professora teve a oportunidade de analisar experiências na área da agroecologia, como o banco de sementes, as feiras agroecológicas e movimentos históricos à luz da mobilização de agricultores, a exemplo do Caldeirão de Santa Cruz do Deserto, vivenciado no município de Crato entre as décadas de 1920 e 1930.

Lembrou ainda aos presentes os preceitos agroecológicos de Padre Cícero:
“Não derrube o mato, nem mesmo um só pé de pau;
Não toque fogo no roçado nem na caatinga;
Não cace mais e deixe os bichos viverem;
Não crie o boi nem o bode soltos; faça cercados e deixe o pasto descansar para se refazer;
Não plante em serra acima, nem faça roçado em ladeira muito em pé; deixe o mato protegendo a terra para que a água não a arraste e não se perca a sua riqueza;
Faça uma cisterna no oitão de sua casa para guardar a água da chuva;
Represe os riachos de cem em cem metros, ainda que seja com pedra solta;
Plante cada dia pelo menos um pé de algaroba, de caju, de sabiá ou outra árvore qualquer, até que o sertão todo seja uma mata só;
Aprenda a tirar proveito das plantas da caatinga, como a maniçoba, a favela e a jurema; elas podem ajudar você a conviver com a seca;
Se o sertanejo obedecer a estes preceitos, a seca vai aos poucos se acabando, o gado melhorando e o povo terá sempre o que comer; Mas, se não obedecer, dentro de pouco tempo o sertão todo vai virar um deserto só”, declamou.
Giovani Tavares explanou no período da tarde sobre o Direito Agrário e a função social da propriedade da reforma agrária no Brasil. O conteúdo foi ministrado na forma de minicurso, que compreende dois momentos: a etapa teórica seguida por comentários em torno de práticas legais.
O técnico agropecuário José Antonio Norberto de Carvalho, morador do Assentamento 10 de Abril, considerou importante a discussão sobre as políticas públicas no setor, uma vez que a capacitação sintoniza-se com seu projeto de vida: “quero fazer faculdade de Ciências Sociais, quero trabalhar com o povo, acabar com a falta de oportunidade, com o preconceito às pessoas que moram na área rural”, afirma.
O estudante do oitavo semestre de Agronomia da UFCA, Antonio Erivando Bezerra, também presente à qualificação, declarou que “é sempre bom discutir sobre as políticas públicas desenvolvidas e levar a comunidade da zona rural, envolvida com a temática, a interagir na universidade”.
De acordo com a coordenadora do núcleo de PIEs da Pró-Reitoria de Extensão, Maria Laís Leite, o seminário teve o caráter de fornecer suporte teórico aos integrantes do PIE de Tecnologias Socioambientais. A previsão é de que a capacitação ocorra a cada semestre. Para este, estão previstos os seminários dos PIEs Economia Solidária e Saúde Comunitária.
Ascom – Universidade Federal do Carri

Compartilhar