UFERSA – Nasce primeira criança cuja gestação fora acompanhada pelo curso de Medicina

Maria Lenilda e Joaquim retornam à Ufersa depois de acompanhamento na gestação. De jaleco, a enfermeira Graciella Jales, e, de preto, a médica e professora Osvani Goes.

No último dia 8 de março, por alusão ao Dia Internacional da Mulher, o Curso de Medicina da Universidade Federal Rural do Semi-Árido iniciou os atendimentos ambulatoriais em Ginecologia e Obstetrícia com pacientes encaminhados pela rede básica de saúde de Mossoró. Parte deste público é de gestante e a equipe de saúde da Ufersa já comemora o nascimento da primeira criança cuja gestação fora acompanhada pelo curso de Medicina da Universidade.Joaquim Manoel está com dois meses e é o sexto filho da dona de casa Maria Lenilda da Silva, de 35 anos. Ela fora encaminhada aos cuidados da Ufersa pela unidade de saúde quando estava com 32 semanas de uma gestação com complicações devido diabetes. “Foi a primeira vez que precisei ser encaminhada para outra unidade e pensei que fosse por causa das varizes, mas o pré-natal apontou complicações com diabetes. Aqui eu recebi todo o cuidado”, relembra Maria Lenilda.

Os encontros durante o pré-natal foram fundamentais para o sucesso do parto e igualmente importante para a formação dos estudantes da primeira turma do curso. Isso porque eles acompanharam a gravidez de Lenilda – e de outras gestantes – como aporte prático do conteúdo estudado durante o Ciclo Clínico da formação.

Além do ambulatório em ginecologia e obstetrícia, o curso de medicina da Ufersa dispõe também de ambulatório para Pediatria, Endocrinologia e Cardiologia. Os pacientes atendidos pela equipe de professores, médicos e acompanhados pelos estudantes são encaminhados pelas Unidades Básica de Saúde, conforme critérios de triagem estabelecidos em referência e contrarreferência, na qual as UBSs são porta de entrada e, dependendo da complexidade, encaminhados para uma Unidade referenciada, como a Ufersa.

Por semana, são atendidas em média 18 pacientes somente na ginecologia e obstetrícia, sendo que cerca de 50 mulheres recebem acompanhamento da equipe de saúde do curso. Elas são encaminhadas devido a gestação de risco, geralmente acometidas com quadro de hipertensão, diabetes e disfunção da tireoide. “O pré-natal é diferenciado em decorrência dos cuidados que cada caso exige. A gente acompanha e quando precisa de exames eles são realizados pelo município”, explica a enfermeira Graciella Jales.
A mãe e o bebê retornaram à Ufersa nesta quinta-feira, dia 28, para receber o prontuário e também fazer uma visita à equipe. A professora Osvani Goes, uma das ginecologistas que acompanha o ambulatório, recebeu a paciente e destacou a importância do serviço prestado à comunidade.

Compartilhe: