UFERSA – Pesquisa aponta desigualdades de oportunidades do ingresso de alunos

UFERSA – Pesquisa aponta desigualdades de oportunidades do ingresso de alunos

ENEM

Um estudante potiguar com renda familiar de no máximo um salário mínimo tem apenas 2% de possibilidade de estar entre os 10% dos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que atingem as melhores notas. O dado integra a pesquisa “Desigualdade de Oportunidades: O papel das circunstâncias do desempenho do Enem”, realizada pelo professor Lauro César Bezerra Nogueira, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido – Ufersa –, e pela doutoranda Fernanda Leite sob a orientação do professor Erik Figueiredo, ambos da UFPB. Desenvolvida no Núcleo de Estudos em Economia Social (NEES) da Universidade Federal da Paraíba, a pesquisa é pioneira no Brasil por mensurar a desigualdade de oportunidades por meio da nota do Enem.

“O estudo busca avaliar qual o papel das variáveis de circunstâncias individuais no desempenho do aluno no Enem”, destaca o professor Lauro, explicando que as variáveis são compostas pela renda familiar, sexo, raça, tipo de escola em que o aluno estudou, e o background familiar formado pela escolaridade dos pais. “Um estudante com baixa renda tem que se esforçar 16 vezes a mais do que um estudante considerado rico, com renda a partir de nove salários mínimos para conseguir ficar entre os 10% melhores do Enem”, explica o professor.

NORDESTE – De acordo com o estudo, as variáveis sociais são influentes em todo o Brasil, mas as desigualdades de oportunidades impactam ainda mais os estudantes nordestinos. “Essas variáveis no Nordeste têm um peso maior do que em relação ao Brasil, tanto que, a média das notas do Enem no Nordeste é de 2.549 pontos, enquanto que a média nacional é 2.630, e do Sudeste chega a 2.780. Por morar no nordeste o aluno já sai penalizado”, afirma.

Segundo o pesquisador, as condições desfavoráveis encontradas nas Regiões Norte e Nordeste podem ser associadas à baixa qualidade das escolas. “A principal contribuição do estudo é mostrar que devemos melhorar a qualidade das nossas escolas se queremos compensar essas pessoas por serem menos favorecidas”.

Outro fator decisivo para a diminuição das desigualdades está no background familiar. “Um pai com quatro anos de escolaridade ou analfabeto funcional na região Sul tem um nível de qualificação superior a um pai com menos de quatro anos de estudo que mora nas regiões Norte e Nordeste”, frisa o pesquisador.

PESQUISA NA UFERSA – Em pesquisa futura, o professor Lauro pretende verificar a desigualdade de oportunidade no ingresso dos alunos na Ufersa. “A partir do número de alunos matriculados separaremos por grupos de circunstâncias e verificaremos quanto cada aluno teve que se esforçar – em termos de probabilidade – para ser aprovado na Ufersa”, vislumbra o professor.

 

Ascom UFERSA

 

How to Find a Fashion Buyer
free games online Choose dressier shoes for children rather than sneakers

7 Insane Military Attempts To Weaponize Animals
cheap prom dresses This Terminator is working toward his goal in a different way

Fall 2014 Acne Studios Layering Warmth with a Childlike Touch
cheapest flights i can’t be alone taking into account the halloween season

Are there any possibilities here
forever 21 How to Get Lipstick Off Car Windows

Medical Insurance Billing and Coding Explained
free online games and so instead settle on a less creative backup option

Danny Santiago teams up with C
jeux fr behind the scenes related to chopped

Where can I find cheap work wear
kleider an enramada arbor was constructed

How to get royal wedding head couture
ballkleider size together with pinkish impact mother to be

Compartilhar