UFFS – Consciência Negra – Programa Fronteira em Movimento realiza exposição virtual

UFFS – Consciência Negra – Programa Fronteira em Movimento realiza exposição virtual

Durante os dias 9, 10 e 11 de novembro, a UFFS realizou, na Comunidade Quilombola Invernada dos Negros, no município de Campos Novos-SC, mais uma ação extensionista do Programa Fronteira em Movimento.

As ações desta edição foram alusivas ao mês da Consciência Negra e tiveram participação intensa dos moradores do local, reunidos em torno da Associação dos Remanescentes do Quilombo Invernada dos Negros. Durante os três dias foram organizadas apresentações culturais, círculos de diálogo, palestras, oficinas nas áreas de educação, cultura, saúde e educação ambiental.

O Programa apresenta nesta terça-feira, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, dois produtos resultantes das oficinas realizadas na Comunidade: um vídeo que mostra um pouco do que foi desenvolvido durante a ação e também uma exposição virtual de fotos e poemas, que retrata a vivência na Comunidade Quilombola.

O vídeo e as fotos que integram a exposição foram produzidos pelos alunos, técnicos e professores da UFFS que participaram a ação. Os trabalhos, que foram publicados na fanpage oficial da UFFS (facebook.com/uffsonline), têm a intenção de dar visibilidade à memória, à cultura, e à luta do povo daquela comunidade quilombola, que está em processo de reconhecimento de seu território.

Para a acadêmica do curso de Letras – Português e Espanhol da UFFS – Campus Cerro Largo, Claudia Espíndola, participar da ação extensionista em um quilombo foi o que a motivou a participar. “Saímos do conforto de nossas casas, enfrentamos horas de viajem até nosso destino, para termos em nossa vivência acadêmica um contato com a comunidade quilombola. Eu não esperava ver tudo o que eu vi e sentir tudo o que senti. Quando estudamos na teoria, que nos constituímos a partir das relações com “o outro”, esse outro nos parece sempre próximo, não nos tirando da zona de conforto. Porém quando esse outro te mostra uma realidade diferente da tua, de luta diária pelo mínimo de dignidade, de luta pelo que é seu de direito e que lhe foi tirado, entendemos que é aí que nos constituímos de verdade”, avalia.

Claudia conta que saiu transformada dessa experiência. “É impossível não nos modificarmos após uma vivência como essa, fisicamente fomos e voltamos iguais, porém nossa alma voltou cheia de todos os sentimentos possíveis. Voltamos dando muito mais valor pelo que somos, do que pelo que temos; voltamos com a esperança de um dia regressar na Invernada dos Negros e ver suas casas em construção; voltamos com abraços apertados, com lembranças de olhares vistos somente lá, de sorrisos que nos dizem ser possível acreditar e lutar SEMPRE. Sinto gratidão. Gratidão por esses momentos no final de minha Graduação. Espero que projetos assim estejam sempre presentes na nossa Universidade. Que tudo que aprendemos nessa Instituição, sirva principalmente para fazer diferente por aqueles que não tiveram a mesma oportunidade”, finaliza.

O vídeo e a exposição virtual de fotos e poemas estão disponíveis na fanpage oficial da UFFS. Visite: www.facebook.com/uffsonline

Compartilhar