UFFS é instituição parceira em pesquisa nacional sobre práticas de enfermagem na Atenção Primária à Saúde

UFFS é instituição parceira em pesquisa nacional sobre práticas de enfermagem na Atenção Primária à Saúde

A Universidade Federal da Fronteira Sul é uma das instituições participantes de pesquisa nacional com o objetivo de compreender as práticas de enfermagem, cenários de atuação e perfis de enfermeiros e enfermeiras do Brasil. A ação tem como promotores o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e a Universidade de Brasília (UnB) – em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass); o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems); a Associação Brasileira de Enfermagem de Família e Comunidade (Abefaco) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS).

A realização da pesquisa nacional “Práticas de Enfermagem no Contexto da Atenção Primária à Saúde (APS)” tem como motivador, entre outros, fato de que, no Brasil, enfermeiros da APS são responsáveis pelo cuidado individual, familiar e comunitário, colaborando para bons resultados do sistema de saúde, embora enfrentem diversos desafios. Assim, conhecer práticas clínicas especializadas e informadas em evidências científicas é uma estratégia para mudanças diante do quadro de dificuldades enfrentadas por esses profissionais.

Fazem parte da pesquisa 23 instituições de Ensino Superior. A UFFS é parceira da pesquisa e o termo de adesão ocorreu a partir de convite realizado pela coordenação geral da pesquisa para representar o estado de Santa Catarina. Neste momento, a professora da UFFS Daniela Savi Geremia coordena o estado de SC e a região sul, com as coordenadoras dos estados do Paraná e Rio Grande do Sul. Conforme Geremia, “a pesquisa foi lançada em novembro de 2019, dividida em duas partes: quantitativa, com aplicação de questionários on-line até março de 2021; e a parte qualitativa, que vai até o dia 18 de dezembro de 2020.

Conforme a pesquisadora da UFFS, “podem participar enfermeiros da Atenção Primária à Saúde (APS) e/ou Estratégia Saúde da Família (ESF), com experiência de três anos ou mais na área”. O acesso ao questionário pode ser feito por meio de link para esse fim (https://questionarios.unb.br/index.php/318638?lang=pt-BR) ou nos sites do Cofen,  Ecos/UnB,  Conasems, Conass e Abefaco.

SOBRE A PESQUISA

A parte quantitativa da pesquisa é aberta para participação de todos enfermeiros e enfermeiras que atuam há mais de três anos na Atenção Primária à Saúde e/ou Estratégia Saúde da Família, num universo, em média, de 35 mil enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família no Brasil.

 

Na parte qualitativa foi feita uma amostra aleatória com a aplicação de entrevistas a 860 enfermeiros, em 85 municípios brasileiros, segundo a classificação do IBGE: intermediário adjacente; intermediário remoto; rural adjacente; rural remoto e urbano.

De acordo com a professora Daniela Savi Geremia, a pesquisa tem como expectativa alguns pontos importantes para a profissão, tais como: apoiar na revisão dos marcos regulatórios do exercício profissional dos enfermeiros; contribuir na elaboração das políticas públicas de saúde no âmbito da APS; auxiliar nos processos de reforma formativa e educacional desses trabalhadores; apoiar nas agendas estratégicas da categorias com os poderes da república; apoiar na elaboração de agendas nacional e internacional de pesquisa sobre as práticas da enfermagem.

Compartilhar