UFG cria software para planejamento do tráfego urbano

UFG cria software para planejamento do tráfego urbano

Grande parte das ruas e avenidas das cidades não foi projetada para comportar o tráfego intenso de veículos, o que cria a necessidade de intervenção do poder público. Para facilitar esse ordenamento, um trabalho desenvolvido na Universidade Federal de Goiás (UFG), por meio de parceria entre pesquisadores dos Institutos de Informática (INF) e de Matemática e Estatística (IME), resultou em um software para planejamento do tráfego urbano. O sistema e um serviço de treinamento e suporte voltado para gestores públicos e engenheiros de trânsito para melhor reestruturar e planejar as vias serão lançados na próxima quarta-feira (18/5), às 14h30, no auditório do IME, no Câmpus Samambaia.

Denominado Petgyn – Problema de Equilíbrio de Tráfego em Goiânia – o software se baseia em dados do fluxo de veículos, que são coletados pelas próprias agências de trânsito das cidades, para avaliar o impacto de intervenções nas vias e, assim, identificar projetos que aumentem a fluidez do trânsito. Uma das vantagens do programa é a possibilidade de avaliar as intervenções antes de sua implementação. Com o Petgyn é possível gerar uma versão da malha viária com a intervenção desejada e simular o que vai acontecer com o tráfego, tornando possível tomar uma decisão de acordo com o resultado obtido.

O software poderá ser acessado pela internet e de forma colaborativa. “Gestores e engenheiros de tráfego podem entrar na sua localidade e trabalhar no projeto de uma malha viária, mesmo remotamente localizados. Esse é outro diferencial dessa ferramenta”, ressalta o professor do INF Hugo Nascimento. O professor Bryon Hall, do IME, também enfatiza essa versatilidade: “Não há uma limitação geográfica e, com os dados definidos, fazemos a simulação do transporte urbano de uma determinada região, seja em Goiânia, na Sibéria ou onde for”.

Particularidades brasileiras

O Petgyn permite ainda uma modelagem de cenários que são incomuns para os chamados países desenvolvidos, onde a maioria dos programas para controle de tráfego foi desenvolvida, mas bastante comuns em países como o Brasil e a América Latina. “Nossa modelagem será útil para as cidades brasileiras e para outras cidades do mundo, com características similares às nossas. O Petgyn pode ser aproveitado para uma visão mais realista, que leve em consideração aspectos normalmente excluídos pelos softwares comerciais”, explica o professor Bryon Hall.

Compartilhar