UFG desenvolve método de detecção de embriaguez pela pupila

Cerca de 24% dos motoristas afirmam que assumem a direção do veículo após terem consumido bebida alcoólica, o dado é da Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o objetivo de facilitar o processo de identificação de condutores alcoolizados, pesquisadores do Instituto de Informática da Universidade Federal de Goiás (UFG) construíram um aparelho de pupilometria dinâmica que é capaz de diagnosticar o consumo de álcool por meio da filmagem e estimulação da pupila do indivíduo.

Para obter medidas precisas do comportamento pupilar, foi construído um pupilômetro, que é um equipamento capaz de gravar imagens da pupila com iluminação infravermelha, estimulando a sua contração e dilatação e permitindo a medição do diâmetro pupilar em cada instante da filmagem. Após a estimulação da pupila, são analisadas características como tempo de reação, velocidade de dilatação, simetria entre os olhos e outros aspectos fundamentais para a constatação de embriaguez. “Com esses dados compilados pode ser possível ainda detectar o uso de drogas ilícitas pelo comportamento pupilar”, completa um dos idealizadores do equipamento Hedenir Pinheiro.

Mais de 350 vídeos foram registrados para construir a base de dados do aparelho que levou em conta ainda aspectos como idade, sexo, nível de oxigênio no sangue, índice de massa corporal e hábitos de ingestão de bebida alcoólica. Além de ser menos invasivo do que o etilômetro e os exames de sangue geralmente utilizados para a confirmação da ingestão de álcool, o aparelho de pupilometria permite que os testes sejam realizados e analisados remotamente. O aparelho também não exige o uso de peças descartáveis e pode ser realizado até mesmo por pessoas que tenham dificuldade em soprar em fluxo contínuo. Os resultados mostraram que o aparelho pupilometria criado na UFG alcança um grau de eficiência de 96% quando realiza as análises de maneira individualizada e baseadas em banco de dados suficientes em vídeo.

Utilização imediata

O professor do Instituto de Informática, Ronaldo Costa, ressalta que o método ainda precisa ser aprimorado, tanto para a redução do custo de produção do aparelho, em média 4.000 reais, quanto para a detecção da quantidade mínima de vídeos para a detecção de alcoolemia. Por enquanto a aplicação do pupilômetro se restringe aos locais de trabalho que permitam a filmagem no indivíduo em estado sóbrio. Com base nessas imagens, é possível garantir o monitoramento do consumo de bebidas alcoólicas por aqueles que exerçam determinadas atividades críticas, como motoristas, policiais ou taxistas.

Compartilhe: