UFG participa de conferência internacional do Instituto Confúcio na China

UFG participa de conferência internacional do Instituto Confúcio na China

Evento reúne associações do mundo todo para discutir o ensino de Língua Chinesa

A vice-reitora da Universidade Federal de Goiás (UFG), Sandramara Matias Chaves, e o diretor de Relações Internacionais da UFG, Francisco José Quaresma, participam nos dias 9 e 10 de dezembro, em Changsha, capital da província de Hunan na China, da 14° Conferência Internacional de Educação de Língua Chinesa (ICLEC), realizada pela sede do Instituto Confúcio.

A Conferência Internacional de Educação de Língua Chinesa, cujo tema é “Inovação e Desenvolvimento do Ensino Internacional da língua chinesa na nova era”, contará com diversas palestras sobre a Política Internacional de Educação Chinesa, Inovação e Desenvolvimento do Instituto Confúcio em vários países, entre outros temas.

Em 2018, a Conferência Internacional de Educação de Língua Chinesa contou com a participação de 1.500 delegados de 154 países. Esta é a primeira vez que a UFG participa do evento. Em outubro deste ano, o reitor da UFG, Edward Madureira Brasil, esteve na China  para firmar parceria com o Instituto Confúcio, em que resultou na criação de uma unidade do Instituto na UFG, que será o primeiro da América Latina a oferecer cursos de medicina tradicional chinesa, além dos cursos regulares de língua e cultura chinesa.

Como resultado da parceria, a UFG recebeu em novembro dois professores chineses da Universidade de Hebei. Uma professora foi designada para fortalecer o ensino do Mandarim, que já é realizado na Faculdade de Letras. E o outro professor foi destinado à Faculdade de Enfermagem, para o ensino e a oferta de práticas integrativas, como acupuntura, que também serão ampliados.

Prevê-se  para o primeiro semestre de 2020, a inauguração da  unidade do Instituto Confúcio na UFG, além da oferta de cursos de especialização sobre a medicina tradicional chinesa e o fortalecimento de pesquisas e intercâmbios de estudantes de graduação e de pós-graduação.

Segundo a vice-reitora, Sandramara Matias, participar desta conferência global é aprimorar as capacidades e trocas culturais de participação da UFG. “ Esse evento nos permite estreitar os laços de parceria e amizade com universidades chinesas, ampliar nossa competência intercultural, além de nos possibilitar o acesso a discussões teóricas e práticas sobre o ensino do mandarim nos dias de hoje”, disse a vice-reitora.

Histórico de negociações

A UFG estava em tratativas desde 2017 para a criação de um Instituto Confúcio. Entre 28 de junho e 7 de julho de 2019, foi realizada uma missão a Shijizuang, na província de Hebei, e a Pequim, capital da China. Participaram da delegação, além do reitor, o diretor de Relações Internacionais da UFG, Francisco José Quaresma, a diretora da Faculdade de Enfermagem, Claci Fátima Weirich Rosso, a professora da Faculdade de Medicina e presidente da Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas da UFG (Fundahc), Cacilda Pedrosa de Oliveira, e a professora da Faculdade de Ciências Sociais, Laís Forti Thomaz. Nessa missão, foram feitos vários encontros e reuniões na Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de Hebei, bem como na Secretaria de Educação da Província e na sede do Instituto Confúcio.

Sobre a UFG

A Universidade Federal de Goiás foi fundada em 1960 com a fusão de cinco faculdades já existentes. Com 156 cursos de graduação, mais de 6 mil vagas disponíveis por ano na graduação e mais de 30 mil alunos, está presente nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Catalão, Goiás e Jataí. Além da graduação, a UFG oferece 78 cursos de pós-graduação entre mestrados, doutorados e mestrados profissionais, com mais de 4.200 estudantes.

Compartilhar