UFJF – Cerimônia de recondução ao cargo de reitor acontece nesta quinta

UFJF – Cerimônia de recondução ao cargo de reitor acontece nesta quinta

O reitor Henrique Duque, e o vice-reitor José Luiz Rezende, serão reconduzidos aos cargos para os quais foram reeleitos em cerimônia nesta quinta-feira, dia 4, no Cine-Theatro Central, às 20h. A solenidade oficial foi realizada dia 22 de setembro pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, em Brasília. Agora, os eleitos esperam compartilhar o início do novo mandato com a comunidade acadêmica convidada. A cerimônia será transmitida para os polos de educação a distância.

Duque e Rezende assumiram a Reitoria, em 2006, sob o lema “Humanizar e Desenvolver”, quando disputaram com outros dois candidatos. Reeleitos, em maio de 2010, com 86% dos votos, em média, entre as três categorias votantes da UFJF: alunos, técnico-administrativos em educação e professores; utilizaram o slogan “Novos Tempos-Novos Desafios” para a chapa única.

Durante os anos de 2006 e 2010, a UFJF ficou marcada por um forte período de expansão, que segundo o reitor, tende a se manter para o próximo mandato.
Em quatro anos, foram 65 obras civis, entre projetos financiados pelo Reuni e outras fontes, gerando um investimento total de R$ 116,5 milhões.

Para equipar salas de aulas, laboratórios, as unidades acadêmicas e setores da Universidade foram gastos R$ 14 milhões. Em livros para as bibliotecas, a administração investiu R$ 1,5 milhão, além de ter aberto o acervo para livre acesso dos estudantes.

Segundo a Pró-reitoria de Planejamento e Gestão, se somados os recursos captados por meio de convênios e fontes de fomento, chega-se a um total de R$ 200 milhões aplicados entre 2006 e 2010.

Além de melhor infraestrutura para os alunos, professores e técnico-administrativos em educação, o montante resulta em aquecimento da economia e desenvolvimento da região. “O reitor Henrique Duque tem conduzido a instituição de forma ética e responsável. Focada num trabalho que prioriza a educação de qualidade, a UFJF se destaca ainda pela geração de empregos, formação de profissionais qualificados, implantação de novas tecnologias e efetiva melhoria socioeconômica de Juiz de Fora”, diz Francisco Campolina, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) Regional Zona da Mata. O terreno adquirido pela UFJF para implantação de um parque tecnológico na cidade é um dos exemplos do perfil empreendedor da atual administração.

Novos professores e técnicos
A infraestrutura veio acompanhada de pessoal. Nos últimos quatro anos, 254 docentes e 188 TAEs foram contratados. As cerimônias de posse viraram rotina dentro da instituição e o setor responsável pela admissão de pessoal teve que se reinventar após tantos anos sem concursos na Universidade. O projeto do Reuni prevê 491 novos servidores, por isso, muitas oportunidades ainda serão abertas.

Para vários professores contratados recentemente o sentimento é de estar em casa. Humberto Fois Braga, empossado no mês passado para o departamento de Turismo, foi aluno do antigo Colégio Técnico Universitário (CTU), da Faculdade de Engenharia, e do curso de Turismo, e brincou dizendo que ao invés de se aposentar como aluno está tendo a oportunidade de fazê-lo como professor. “Esse é um momento muito significativo, é uma recompensa. Sempre sonhei em trabalhar aqui”, declarou no momento da posse.

Gisele Castro, professora da Faculdade de Administração e também ex-aluna da Universidade, diz que nunca pensou em trabalhar em outro lugar. “Essa nova fase da UFJF é muito importante em minha vida, sempre esperei por essa chance e a criação do curso em Ciências Contábeis me proporcionou a realização desse sonho.”

Os novos professores e TAEs da UFJF encontram, além dos benefícios do Governo Federal destinados aos servidores públicos, plano de saúde da Unimed com opção 100% custeada pela Universidade. A conquista veio em 2008 atendendo a uma demanda antiga dos funcionários. Outra promessa de Duque e Rezende se concretizou há alguns meses com a destinação de 13 vagas de mestrado profissional para os técnico-administrativos da UFJF.

Pesquisa tem recorde em captação de recursos e Pós-graduação aumenta número de cursos Para os docentes que desejam campo para investigação científica, a UFJF tem se mostrado competitiva e capaz de recuperar uma defasagem de anos em relação à pesquisa e à pós-graduação. Iniciativas como a compra de terreno para a implantação do parque tecnológico e criação de um Jardim Botânico vem a se somar às políticas que aumentam a competitividade da instituição junto às agências financiadoras.

Entre 2009 e 2010, R$ 8,5 milhões em recursos foram captados somente para infraestrutura na pesquisa. No CNPq, o volume de investimentos em bolsas e no fomento à pesquisa passou de R$ 1,8 milhão em 2006 para R$ 2,9 milhões em 2009. O total de bolsas de pós-graduação oferecidas pela Capes subiu em torno de 77% no mesmo período. E na Fapemig, o montante captado saltou de R$ 3,8 milhões em 2006 para R$ 18 milhões em 2010, representando um crescimento de mais de 400% em quatro anos.

Atualmente existem 28 opções de mestrado, sendo três do tipo profissional e 25 acadêmicos, e nove cursos de doutorado, abrangendo as sete diferentes áreas do conhecimento. Deste total de 37 cursos, 18 foram criados nos últimos três anos. Na última avaliação da Capes, divulgada em setembro, sete programas elevaram seus conceitos.

Mais oportunidades de ingresso e de permanência O Reuni trouxe mais vagas e cursos para a Universidade. No Vestibular 2008, foram disponibilizadas 2.115 cadeiras, 1.286 menos do que as 3.401 oferecidas este ano. A intenção, de acordo com o programa, é destinar 3.790 vagas de ingresso em 2012. Os alunos chegarão a 20 mil até 2017.

Quatorze cursos novos foram criados e a quantidade de cadeiras foi ampliada em graduações já existentes. Para manter os estudantes no ensino superior, há atualmente 4.250 bolsas na Universidade em 22 modalidades diferentes. Iniciação científica, treinamento profissional e monitoria são alguns dos exemplos. Em 2009, a atual gestão reajustou o valor da bolsa de R$ 200 para R$ 240.

No Programa Apoio Estudantil, mantido pela UFJF, há 2.050 alunos atendidos que recebem auxílio alimentação, transporte, moradia, manutenção. Ana Claudia Procópio Duzzi, do 3º período de Letras, é um dos exemplos. “Acho que é a coisa mais bonita que a universidade faz para seus estudantes. Se eu não fosse bolsista, não estaria estudando. Além de ser uma oportunidade legal, dá um senso de responsabilidade” ressalta.

Compartilhar