UFJF é a primeira universidade do país a contar com TV digital

UFJF é a primeira universidade do país a contar com TV digital

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) será a primeira instituição de ensino superior a contar com uma concessão de canal digital para implantação de uma TV educativa. A disponibilização do canal para a UFJF servirá como porta de entrada para a oferta desta modalidade de TV em Juiz de Fora, prevista para ter início no segundo semestre de 2010. O anúncio foi feito na manhã da última  segunda-feira, dia 16, pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa, no auditório do Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM). Na ocasião, o ministro assinou termo de doação de um Telecentro, que será implantado na UFJF para toda a comunidade, em local a ser definido pela Administração Superior.

Anteriormente, estava previsto, para a data, a assinatura da concessão da Rádio FM Universitária (frequência 100,7 MHz) e do protocolo de exposição de motivos, a ser enviado ao presidente Lula, para outorga do canal analógico de TV (canal 4). No entanto, o ministro anunciou mudança de planos após consultar o reitor Henrique Duque e receber dele resposta positiva de que a Universidade teria condições de arcar com os custos de equipamentos para a implantação de uma TV digital. “O próprio presidente Lula chegou a perguntar sobre a TV digital e propor isso ao Ministério das Comunicações. Vamos agora organizar a documentação e adiar para a próxima segunda-feira.” As assinaturas ocorrem no dia 23, às 14h, no Anfiteatro das Pró-Reitorias.

O reitor Henrique Duque disse ter recebido a notícia com surpresa e satisfação. “Estávamos muito satisfeitos em conseguir a concessão analógica, mas com a tecnologia digital batendo à nossa porta, pensávamos que a TV Universitária iniciaria suas atividades com uma tecnologia ultrapassada. E queremos dar para a UFJF o que há de melhor.” Ainda de acordo com o reitor, já há recursos garantidos para o projeto, oriundos de outros ministérios e de emendas parlamentares, fora do orçamento da Universidade. A previsão é de que cheguem a US$ 350 mil para a rádio e entre R$ 5 milhões e R$ 10 milhões para a TV Universitária. Em relação ao local de implantação tanto da TV quanto da rádio, o reitor informou que irá discutir com a Administração Superior e com a Faculdade de Comunicação para verificar qual o melhor espaço. “Queremos definir isso nos próximos dias. A implantação da rádio e da TV é muito significativa para a UFJF, pois servirá como um laboratório para a educação e a formação de profissionais, trazendo imensuráveis benefícios.” A previsão de inauguração da rádio é no primeiro semestre de 2010 e a TV digital poderá ser disponibilizada até julho do ano que vem.

Segundo o diretor geral da Rádio e TV, Kleber Ramos, o objetivo dos veículos é transmitir conteúdo da Universidade, com foco no ensino, na pesquisa e na extensão, assim como informações de Juiz de Fora e região. A iniciativa irá requerer contratação de pessoal e serão aproveitados projetos já existentes em relação a esses meios. Serão envolvidos bolsistas de Comunicação Social, Artes e de outros cursos. “É um amplo espectro de funções que pode envolver mais cursos e profissionais.”

A diretora da Faculdade de Comunicação, Marise Mendes, também  destaca que a rádio e a TV são importantes para o treinamento de alunos da Facom e de outras áreas da UFJF. “É importante destacar que são veículos da Universidade, não específicos da Reitoria, da Faculdade de Comunicação. É um espaço institucional, para o treinamento grande de alunos e que vai envolver muitas faculdades.”

Telecentro
Com a assinatura do termo de doação de um Telecentro para a UFJF, Juiz de Fora chegará a oferecer 16 espaços de acesso à internet para toda a população. Segundo o ministro, o Telecentro da UFJF terá dez computadores, mobiliário com mesas e cadeiras, projetores de DVD, telão e conexão de internet banda larga. “Esta ação faz parte de um programa nacional para popularizar o acesso à internet entre a população. Estamos presentes em
5.465 cidades e devemos isso à visão do presidente, que vê na inclusão digital uma forma de se fazer inclusão social.”

Outras informações: 2102-3967 (Diretoria de Comunicação)

 

Compartilhar