UFMA – Perguntas e Respostas (Calendário Acadêmico)

UFMA – Perguntas e Respostas (Calendário Acadêmico)

O objetivo deste FAQ (Perguntas Frequentes) é  esclarecer a comunidade universitária acerca do retorno das atividades, por meio remoto, neste período especial. Assim,  Universidade Federal do Maranhão preparou uma relação de perguntas, que apresentamos abaixo:

1) Por que retornar às atividades agora?

Após suspensão do calendário acadêmico e das atividades presenciais, muitas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) estão buscando formas de retorno às atividades acadêmicas. No caso da UFMA, a partir de uma ampla consulta à comunidade acadêmica (docente, discentes e técnicos-administrativos), no período de 4 a 30 de maio, e de reuniões mantidas com diretores de unidades e subunidades acadêmicas, verificou-se que a maior parte da comunidade apoia a ideia do retorno por via remota e mediado pelas ferramentas tecnológicas disponíveis, sem encontros presenciais e com condições bem definidas. A partir daí, a gestão superior junto com diretores e coordenadores construíram uma proposta flexível e que leva em consideração as limitações e particularidades dos diferentes cursos e câmpus da UFMA.

2) Como foi realizada a pesquisa?

A pesquisa tem sido realizada pelo Google Forms, e, até o dia 19 de maio, os relatórios apontaram para 10.528 estudantes, de um total de 20 mil, que já responderam às 32 perguntas do formulário; e, de um universo de 1.984 docentes, 1.279 já preencheram o questionário que contém 28 perguntas. Essa pesquisa foi feita em todos os câmpus da UFMA, em São Luís e nos 8 do continente (Bacabal, Balsas, Chapadinha, Codó, Grajaú, Imperatriz, Pinheiro e São Bernardo).

3) O retorno às atividades acadêmicas, ainda que de forma remota e não presencial, tem o apoio da comunidade acadêmica?

Os dados de uma ampla pesquisa aplicada junto aos docentes, discentes e técnicos-administrativos de todos os câmpus da instituição indicam que sim. Além disso, antes de publicar a Resolução de retorno às atividades acadêmicas, a Administração Superior dialogou com Diretores de Centro, Coordenadores de Curso, Chefes de Departamento e Professores, de forma que o documento que regulamenta o retorno às atividades é resultado da convergência desses diálogos, respeitando a pluralidade e a flexibilidade necessárias. Cada unidade acadêmica e cada curso, vai encontrar a forma de desenvolver suas atividades, respeitando as especificidades que possuem.

4) Esse calendário agora é o retorno daquele Calendário que foi suspenso?

Não. Esse calendário é, na verdade, aquele PERÍODO ESPECIAL que os alunos fazem durante as férias. O que a UFMA está fazendo, neste momento, é ANTECIPAR aquele calendário que seria dado nas férias (que chamamos de ESPECIAL).

As duas principais características desse período especial são:

  1. a) A adesão dos docentes à ministração das aulas é FACULTATIVA – aquele professor, que se sentir capaz e motivado, fará a inscrição da sua disciplina junto à Coordenação do Curso e aqueles alunos que acharem que podem e quererem, farão as matrículas e cursarão essas disciplinas.
  2. b) O aluno poderá cancelar sua inscrição a qualquer momento. Bem como o professor poderá abrir sua disciplina com o mínimo de 5 inscritos.

Todo esse esforço que a UFMA vai fazer está vinculado ao contexto que se tem hoje, de alunos e professores que gostariam de estar em atividade.

5) Com a suspensão do calendário acadêmico por 2 meses, vou atrasar a conclusão do meu curso?

A proposta de retorno remoto às atividades acadêmicas com a oferta de um período especial a partir de 6 de junho, estabelece um período de férias docentes, mantidas para julho, seguido do reinício do período 2020.1, em agosto, e da oferta do período 2020.2, em janeiro de 2021, de forma que nenhum período seja cancelado ou extinto. Assim, com toda segurança e respeito às particularidades, a universidade está se esforçando para que o prejuízo ao ciclo formativo do aluno seja mínimo.

6) O período que começou em março, está perdido?

O primeiro semestre de 2020 será cancelado e oferecido, na íntegra, novamente. A previsão é que seja ofertado de agosto a dezembro. É bastante provável, dadas as condições que o contexto da COVID-19 oferece, que ele seja um período híbrido, com uma boa parte das disciplinas sendo ministrada de forma remota.

7) O ano de 2020 terá apenas um período regular?

Não. O segundo semestre será ministrado de janeiro a março de 2021. O calendário acadêmico, quando a situação impele, não coincide com o calendário normal. Já ocorreu isso em outros tempos, quando, por exemplo, a Universidade convive com greves e precisa readequar o calendário depois da volta dos professores ao trabalho. O importante é que a UFMA vai fazer um grande esforço, revendo seus processos, suas ações pedagógicas e seu calendário, para que o ano letivo seja garantido aos discentes da melhor maneira possível, dentro deste novo contexto que se impôs ao mundo.

8) O uso do ensino remoto neste momento significa que a Universidade vai implantar o ensino a distância (EAD) em seus cursos presenciais?

Após esta pandemia, inevitavelmente, a UFMA será uma nova instituição. Necessariamente, novas práticas serão incorporadas aos trabalhos e às práticas docentes. Cabe ao coletivo, às representações docentes, discentes e de técnicos encontrar as melhores práticas de ensino. A administração vai dialogar, buscar todas as possibilidades e envidar todos os esforços para dotar a Instituição de condições de inclusão tecnológica aos seus corpos discentes, docentes e técnicos. A qualidade do ensino, da extensão e da pesquisa passa pela modernização desses processos de adequação. Mas, cada curso, respeitando as suas especificidades e a autonomia, encontrará o melhor modelo a aplicar.

9) Como iniciar atividades de ensino remoto, se o Maranhão, além de ter um dos menores percentuais de acessos à internet do país, ainda tem uma qualidade muito limitada, especialmente no interior?

A limitação na qualidade no acesso não pode imobilizar a atuação da UFMA, ao contrário, a Instituição se movimenta para buscar parcerias com organizações públicas, como as prefeituras; as organizações privadas (empresas de telefonia) e as da sociedade civil organizada para soluções de infraestrutura à comunidade acadêmica.

10) O que a UFMA fará com aquele aluno que não tem internet nem computador para assistir as aulas?

A UFMA vem buscando formas de possibilitar, aos alunos que não têm conectividade, por falta de dados ou mesmo de equipamentos, formas de oferecer a eles: chips com pacotes de dados de 20G; e tablets que serão emprestados e devolvidos ao final do curso. Além disso, para quem já tem conectividade, a UFMA desenvolveu uma série de recursos que favorecem o ensino remoto: e-mail institucional do Gmail e sistemas para websalas. De qualquer forma, sabemos que ainda assim alguns alunos não terão condições de fazer as disciplinas ofertadas. Nesse sentido, a PROEN garantirá aos alunos a oferta das mesmas disciplinas no período regular.

11) Como ficará a situação para os estudantes com deficiência?

A Pró-reitoria de Ensino colocará, para suporte a esses alunos, a Diretoria de Acessibilidade. Aqueles alunos com deficiência, que optarem por fazer a disciplina especial, não ficarão totalmente desamparados.

12) O que acontecerá com o aluno que não se matricular ou não tiver oferta de disciplinas na forma remota, durante o período especial?

Pela sua característica inclusiva e flexível, a proposta de retorno prevê que no período especial, cada subunidade acadêmica, deverá estabelecer critérios de participação, tanto dos docentes, quanto dos discentes. Além disso, ciente das dificuldades e desafios que o momento nos impõe, a instituição estabeleceu condições especiais para proteção ao estudante: possibilidade de trancamento a qualquer tempo da matrícula em disciplina no período especial; suspensão do prazo máximo de integralização dos cursos; suspensão da inserção do aluno em plano de estudo e suspensão do desligamento dos alunos.

13) O professor não tem condições de realizar as aulas remotas porque ele não sabe utilizar essas tecnologias, como proceder?

A Diretoria Interdisciplinar de Tecnologias da Educação (Dinte-UFMA), vem desenvolvendo uma série de cursos para a formação do professor que precisa aprender a usar recursos de EAD. Hoje existe um pacote de 3 cursos, cada um com 60h, à disposição de qualquer docente da UFMA, totalmente gratuitos e online.

14) O que vai acontecer com o professor que não quiser, não puder ou não for elegível para ofertar disciplinas, remotamente, no período especial?

A proposta de retorno às atividades acadêmicas se caracteriza pela sua flexibilidade e respeito às especificidades dos cursos, dos docentes e discentes. Assim, nenhum docente será obrigado a ofertar componente curricular no período especial. No entanto, os órgãos de controle exigem de todo servidor público relatórios de suas ações no período da pandemia. Quase sempre são ações remotas. O servidor poderá, então, descrever suas outras atividades desenvolvidas (pesquisa, orientação, extensão, entre outras). A UFMA disponibiliza diversas ações de capacitação que podem ser realizadas pelo professor e que poderão ser computadas em sua carga horária, com benefícios também no PID e nas normas de progressão e promoção na carreira docente.

15) Quais ações têm sido realizadas para auxiliar os docentes?

A Dinte tem realizado cursos, gratuitos, que podem ser acessados na plataforma EAD PARA VOCÊ. Além disso, ela vem desenvolvendo diversos WEBNÁRIOS sobre temas ligados à EAD: direitos autorais, como usar o celular para fazer aulas, etc. Esse material estará disponível na plataforma da Dinte, que poderá ser acessado pelos professores, e serve de formação complementar aos cursos oferecidos.

16) O que vai acontecer com as disciplinas que possuem parte prático-experimental?

No período especial, está vedada a oferta de disciplinas que contenham parte prático-experimental, em parte ou no todo. Quando reiniciar o período 2020.1 e houver condições seguras para o retorno presencial, tais disciplinas serão ofertadas. Ainda assim, medidas adicionais de proteção, como alternância de turmas, número de alunos por turma e o distanciamento entre eles, serão consideradas e aplicadas.

17) O que vai acontecer com o estágio supervisionado obrigatório?

No caso dos estágios em que a presença no ambiente de prática, é obrigatória e inevitável, os mesmos serão cumpridos quando houver o retorno às atividades presenciais. Em situações que a presença física do aluno pode ser flexibilizada, em consonância com as normas e deliberações do Conselho Nacional de Educação do Ministério da Educação (CNE-MEC), a instituição construirá, junto aos cursos, as normas e condições para cumprimento.

18) A orientação e a defesa de TCC poderão ocorrer durante o período especial?

Sim. A resolução de retorno às atividades letivas permite que as atividades de orientação e defesa do Trabalho de Conclusão de Curso poderão ser desenvolvidas, desde que de forma remota e segura. Para as monografias que envolvem parte prático-experimental, e, portanto, há necessidade de presença do orientador e/ou aluno no laboratório, pesquisa de campo entre outros, o processo acontecerá a partir do retorno seguro às atividades presenciais.

19) Como ficam as atividades letivas do Colun?

O Colégio Universitário decidirá nos seus conselhos sobre o calendário de reposição.

20) O calendário para a Pós-Graduação está ativo?

O semestre 2020.1 foi reativado, porém alguns programas não ofertaram disciplina e vão repor o semestre, igual ocorrerá na graduação. O calendário acadêmico da Pós, está vigente e, 50% dos programas estão em atividade. Os cursos, na modalidade lato sensu (especialização), voltados para profissionais das empresas públicas e privadas, que têm parceria com a UFMA, estão tendo aulas remotamente, uma vez que essas atividades não podem ser suspensas.

21)  Não estou convencido e não quero aderir a este formato. Serei penalizado, de alguma forma?

Não. A UFMA não está adotando essa iniciativa para punir ninguém, nem professor nem aluno. A Universidade apenas entende que é preciso buscar, neste atual cenário, soluções criativas, inclusivas e que garantam a continuidade nos seus processos educacionais. Hoje ela desenvolveu ferramentas que garantem um ensino remoto com qualidade e estará, com este semestre especial, testando a adesão de alunos e professores. A UFMA acredita que, num cenário pós-pandemia, será quase impossível ter aquele modelo de ensino presencial de antes. Em todos os lugares, vê-se uma luta para as pessoas se adaptarem, de forma criativa, às novas exigências do mundo. Com a universidade não seria diferente. Muito mais do que pensar em punir, a Universidade pensa em fomentar parceiros, professores e alunos, para somar formas, talentos e motivações para esta nova empreitada.

22) Como está o funcionamento da UFMA neste momento?

A Universidade publicou no dia 15 de maio, a Resolução Nº 1.998 – Consepe, que dispõe sobre o Calendário Acadêmico de 2020, as atividades de pós-graduação e o trabalho remoto, contendo as orientações para cada situação.

Compartilhar