UFMG – Em conferência internacional nos EUA, reitor defende modelo de desenvolvimento regional e urbano policêntrico para o Brasil

UFMG – Em conferência internacional nos EUA, reitor defende modelo de desenvolvimento regional e urbano policêntrico para o Brasil

O reitor Clélio Campolina Diniz participa, a partir de hoje, 16 de novembro, nos Estados Unidos, da conferência internacional Global urbanisation: challenges and prospects, promovida pela Regional Studies Association (RSA). O evento, que acontece em Los Angeles, Califórnia, reúne estudiosos e especialistas em temas regionais e urbanos de vários países até o próximo dia 18.

Em sua exposição, marcada para esta terça-feira, 17 de novembro, Clélio Campolina abordará o processo de crescimento demográfico e de urbanização do Brasil. Terá como base o artigo que ele preparou especialmente para ser apresentado no encontro internacional, intitulado Brazil: accelerated metropolization and urban crisis.

No estudo, Clélio Campolina demonstra que o desenvolvimento urbano brasileiro, intensificado na segunda metade do século XX, foi vertiginoso e resultou na concentração da população e das atividades econômicas em um conjunto restrito de grandes núcleos urbanos e regiões metropolitanas, situados, sobretudo, na fração territorial do país que se estende da região central de Minas Gerais ao Nordeste do Rio Grande do Sul.

Nesse sentido, a urbanização brasileira se expressou em uma acelerada metropolização, cujos desdobramentos foi uma crise urbana de grandes proporções atualmente vivenciada no país.

Sinais da crise

Diversos indicadores são arrolados para dimensionar a crise urbana brasileira, sendo que uma de suas dimensões mais dramáticas é delimitada pela precariedade das condições de habitação de parcela significativa da sociedade. O estudo de Clélio Campolina mostra que a população favelada do país alcançou o contingente total de 11,4 milhões de pessoas em 2010, dos quais 84% (9,5 milhões de indivíduos) estavam nas áreas metropolitanas.

Além desse quadro deficiente de moradia, outros problemas relacionados à insuficiência da infraestrutura de serviços urbanos, com destaque para o saneamento básico, se somam para tornar a situação habitacional na grandes metrópoles ainda mais crítica, de acordo com a pesquisa do reitor.

São analisadas também as crescentes dificuldades de mobilidade nos centros urbanos brasileiros, que vêm sendo acentuadas simultaneamente à maior importância dada ao transporte particular em detrimento ao de caráter coletivo. As informações estatíticas sistematizadas no estudo de Clélio Campolina dão conta de que a frota nacional de veículos automotores aumentou 142% entre 2001 e 2012, enquanto a população teve incremento de 12,5% no mesmo período.

A expansão dos veículos destinados ao transporte coletivo (ônibus) foi muito menor do que a das demais categorias de transporte particular (automóveis e motocicletas), contribuindo de forma decisiva para o caos no sistema viário das grandes cidades, que se manifesta não apenas em congestionamentos cada vez maiores e mais prolongados, mas também na ascendente curva de acidentes fatais de trânsito: os óbitos relacionados a esse tipo de causa somaram 44 mil em todo país em 2010, 48% acima do registrado em 2000.

Um aspecto que sintetiza a crise urbana é o aumento da violência, materializada no número crescente de mortes provocadas por homicídios, que totalizaram 53 mil em todo país em 2010, sendo que mais da metade deles (53%) foi registrada nas regiões metropolitanas.

Brasil policêntrico

Para Clélio Campolina, o equacionamento dessa grave crise vai exigir a implementação de um novo modelo de desenvolvimento regional e urbano para o Brasil, pautado por diretrizes de planejamento e ordenamento territorial, com a finalidade de constituir novas centralidades que possam ampliar as opções de alocação espacial dos investimentos e do emprego e, assim, estimular um maior espraiamento geográfico das atividades econômicas e da população brasileira.

Formulado originalmente pelo reitor em estudo produzido para o Ministério do Planejamento em 2008, esse modelo de desenvolvimento regional e urbano policêntrico consiste, resumidamente, na adoção de uma nova regionalização para efeitos de formatação e execução de políticas públicas e ações direcionadas ao fortalecimento de uma rede de sete macropolos regionais, que se juntariam a outros 11 já consolidados, e de um conjunto de mesopolos, cujo objetivo principal é o de “reduzir as desigualdades regionais, melhor ordenar o território e frear a megametropolização” do país.

Ascom UFMG

If You Are A Fashion Follower Choose Samsung S9110
watch game of thrones online free go for a pair with a lower heel

The computer industry is the only industry that is more fashion
free games online We will therefore probably see a reversal in direction relatively soon

How the hell do you smile
mermaid wedding dresses Packing for Tropical Travel

NephoScale Appeals to DevOps with New Public Cloud Infrastructure Tool
forever21 how to construct a clothing blog site free

One of the Top Brands in Urban Fashion
free online games but you don only need to be handy with a needle

Joico K Pack Reconstructor Shampoo best High End shampoo for dry
jeu gratuit Hand Cranked Homemade Ice Cream

Buying a replica handbag instead of an original designer brand
kleider Magazines and style journals

How To Make A Leather Tri
cool math games orange tangerine wedding outfits and additionally skirts with regard to

Compartilhar