UFMG lança política de inclusão digital para garantir acesso ao ensino remoto emergencial

UFMG lança política de inclusão digital para garantir acesso ao ensino remoto emergencial

Por meio de quatro chamadas, serão oferecidos auxílio para acesso à internet, compra e empréstimo de computadores e aquisição de equipamentos para estudantes com deficiência

UFMG lança chamadas para favorecer a a inclusão digital dos estudantes de graduação e pós-graduação, incluindo aqueles com deficiência

A UFMG divulgou nesta terça-feira, 30 de junho, quatro chamadas que integram a sua Política de Inclusão Digital, formulada para assegurar acesso do corpo discente a equipamentos de informática e a redes de internet. A medida é essencial para que todos os estudantes de graduação e pós-graduação, incluindo aqueles com deficiência, possam acompanhar as atividades que serão ministradas de forma emergencial e remota em meio à pandemia de covid-19.

De acordo com decisão do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), as atividades na pós-graduação serão retomadas a partir desta quarta-feira, 1º de julho. As aulas na graduação, também em regime remoto e emergencial, recomeçam a partir de 3 de agosto.

As quatro chamadas receberão inscrições de 1º a 20 de julho. A primeira é destinada à aquisição de equipamentos por estudantes de primeira graduação, em regime presencial, regularmente matriculados e frequentes. Será concedido um auxílio de R$ 1,5 mil.

segunda prevê a oferta de auxílio para contratação de serviços de internet, softwares e outros recursos para beneficiar a inclusão de estudantes de graduação assistidos por programas da Universidade, regularmente matriculados e frequentes em cursos presenciais. Os valores serão de R$ 100 para assistidos nível 1, R$ 80, para o nível 2 e R$ 70, para o nível 3. O repasse será feito mensalmente durante o período de vigência do ensino emergencial remoto.

Ampliação de medidas

Também aberta a estudantes de graduação, a terceira chamada é focada em empréstimos de computadores. Serão priorizados os estudantes classificados nos níveis 1, 2 e 3 (nessa ordem), com avaliação socioeconômica em vigor, renda bruta per capita de até um salário mínimo e meio, sempre com preferência para as menores rendas brutas per capita. Estudantes não incluídos na Política de Assistência Estudantil da UFMG deverão solicitar avaliação socioeconômica, preenchendo o questionário disponível no site da Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump).

 

A quarta chamada destina-se à aquisição de material acadêmico específico (equipamentos de Tecnologia Assistiva e/ou tecnológicos) para estudantes de graduação com deficiência. Eles também devem estar cursando sua primeira graduação, além de regularmente matriculados e frequentes no primeiro semestre de 2020, acompanhados pelo Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) e assistidos por programas da UFMG gerenciadas pela Fump. Cada estudante poderá pleitear um valor único de até R$ 1,5 mil.

Na semana passada, a UFMG já havia lançado chamada destinada a estudantes de pós-graduação para acesso à internet.

Inscrições para as quatro chamadas da Política de Inclusão Digital da Universidade vão de 1º a 20 de julho

Inscrições para as quatro chamadas vão de 1º a 20 de julho

De acordo com o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Tarcísio Mauro Vago, os recursos das chamadas de aquisição de equipamentos e contratação de serviços de internet são oriundos do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes). “Já a chamada de empréstimos de computadores conta com recursos próprios da UFMG. A Universidade firmou um contrato com uma empresa de aluguel dos equipamentos e vai repassá-los aos estudantes”, informa o pró-reitor.

O prazo de inscrições das quatro chamadas encerra-se inicialmente no dia 20 de julho. “A UFMG tem 7,5 mil estudantes assistidos, e vamos monitorar o andamento das inscrições. Se for necessário, faremos novas chamadas. Nossa intenção é promover uma busca ativa, por meio de telefonemas e ações em redes sociais para garantir que todos sejam incluídos nesse processo”, afirma o pró-reitor.

Além das chamadas, a política de inclusão digital da UFMG prevê a reestruturação da rede de internet sem fio nas moradias universitárias, com revisão de entrega na segunda semana de agosto.

Consulta

As chamadas de acesso à internet e a equipamentos de informática tiveram por base os resultados de consultas feitas a estudantes de graduação e pós-graduação para identificar as condições de acesso remoto e de estudos fora do ambiente acadêmico.

Na graduação, mais de 23 mil alunos participaram do levantamento, o que corresponde a 71,86% do número de estudantes ativos na instituição. Desse total, 12,9 mil estudantes são de ampla concorrência e 9,7 mil ingressantes pelo regime de reserva de vagas (cotas). Perto de 28% dos estudantes não responderam ao formulário.

Entre os graduandos que responderam à consulta, 19 mil declararam ter ótimas ou boas condições de acesso à Internet (82,29%). Outros 2,7 mil estudantes afirmaram ter condições razoáveis (11,72%) e 1,3 mil (5,99%) indicaram que suas condições são precárias.

 

Participaram da consulta mais de 23 mil alunos, o que corresponde a 71,86% dos estudantes ativos da graduação.

Na pós-graduação, quase cinco mil pessoas responderam ao formulário (2.481 mestrandos e 2.456 doutorandos), o que representa 51% do universo de estudantes ativos na UFMG nesse nível de ensino. Mais de 2,2 mil mestrandos afirmaram ter ótimas ou boas condições de acesso à Internet (89,82%), enquanto 153 disseram ter condições razoáveis (6,17%) e 121 declararam ter condições precárias (4,36%).

Entre os doutorandos, o índice daqueles que afirmaram ter ótimas ou boas condições de acesso à internet chega a 90,84% (2.231 estudantes). Outros 118 estudantes declararam ter condições razoáveis (4,81%) e 107 disseram ter condições precárias (4,36%).

O vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira avalia que o resultado da consulta foi expressivo e possibilita o planejamento de ações e estratégias para assegurar que o corpo discente tenha condições de acesso ao conteúdo das disciplinas por meio remoto emergencial. “Conseguimos traçar um retrato bem preciso das pessoas que participaram da consulta, e ele nos ajudou a atuar para assegurar que as medidas a serem adotadas [as quatro chamadas de graduação e a de pós-graduação] alcancem a totalidade das pessoas que precisam de suporte, sejam ou não estudantes assistidos pela UFMG por meio da Fump”, sustenta o professor.

Planejamento está sendo realizado pela Universidade para assegurar que os estudantes tenham condições de acesso ao conteúdo das disciplinas por meio remoto emergencial

Política de inclusão digital vai assegurar aos estudantes acesso ao conteúdo das disciplinas por meio remoto emergencial

Alessandro Moreira destaca que a UFMG também precisa olhar para o contingente de estudantes – em torno de 28% – que não responderam ao levantamento, dos quais 5.034 são estudantes que ingressaram na modalidade de ampla concorrência e 3.679, na de reserva de vagas. “É importante também adotar medidas para alcançar esse público, afirma o vice-reitor, indicando que o levantamento permitiu conhecer os cursos de graduação desses estudantes, o que assegura sua inclusão na política lançada pela Universidade.

Apadrinhamento digital

Outra frente que busca ampliar os níveis de inclusão digital do corpo discente da UFMG é a campanha de apadrinhamento lançada pela Fump.

A Bolsa Apadrinhamento Inclusão Digital será destinada aos estudantes de Belo Horizonte e Montes Claros que não possuem equipamentos como computadores ou notebooks. Eles devem estar cursando a primeira graduação na UFMG e regularmente matriculados, frequentes e classificados socioeconomicamente pela Fump nos níveis I, II e III, nessa ordem de prioridade. O objetivo é oferecer oportunidade para que esses estudantes adquiram ou recebam um computador ou notebook para favorecer a realização das atividades acadêmicas necessárias à sua formação.

 

Os padrinhos e madrinhas poderão doar notebook ou computador com configuração mínima Core 2 Duo, 4GB, 500 HD / 120 SSD ou contribuir em dinheiro. Os depósitos de qualquer valor poderão ser feitos em contas correntes da Fump:

– Banco do Brasil: agência: 1615-2, conta corrente 22.942-3. CNPJ da Fump: 17.220.583.0001-69

– Santander: agência 4546, conta corrente 13.004008-3. CNPJ da Fump: 17.220.583.0001-69

O benefício será concedido por meio de bolsa no valor de R$ 1,5 mil depositado na conta do estudante assistido

Compartilhar