UFMS transfere armamento para Prefeitura de Campo Grande

UFMS transfere armamento para Prefeitura de Campo Grande

Na manhã de hoje (22) foi realizada a transferência de 19 armas e munições do patrimônio da UFMS para a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social (SESDES). O ato faz parte do acordo de cooperação firmado entre as instituições para a promoção de mais segurança à Cidade Universitária e comunidade no entorno e de cursos e formação para os policiais.

O reitor Marcelo Turine agradeceu a parceria e ressaltou que “a segurança é fundamental tanto para a seguridade dos docentes, técnicos administrativos, estudantes e toda a comunidade da região, quanto para a seguridade do patrimônio científico da Universidade, que é também riquíssimo e único”.

Para o secretário municipal de Segurança e Defesa Social, Valério Azambuja, que no ato também representou o prefeito Marquinhos Trad, a cooperação com a UFMS evidencia a transformação do poder público por meio da qual as instituições passam a olhar para a sociedade de forma mais integrada, compartilhando suas potencialidades.

O vereador Junior Longo parabenizou a colaboração estabelecida destacando tanto a importância do ponto de apoio da guarda no campus, que está localizado em uma das regiões mais populosas da cidade, quanto a formação ofertada pela UFMS. “A capacitação trará benefícios ainda maiores para a segurança do município”, lembrou.

Assinou também o documento o superintendente do Comando da Guarda Civil Municipal, Anderson Gonzaga da Silva Assis, e participou da entrega ainda o pró-reitor de Administração e Infraestrutura Augusto Malheiros.

Segundo Fernando Nogueira, professor e ouvidor da UFMS, por conta de uma nova legislação referente ao desarmamento no Brasil os servidores da Universidade já não poderiam utilizar as armas que foram entregues. Para honrar o investimento feito anteriormente nesses equipamentos, a administração da Universidade buscou então outra instituição que pudesse utilizá-los. Todo o processo foi feito sob o acompanhamento da Polícia Federal e Exército.

Compartilhar