UFOP comemora 51 anos com palestra sobre papel da universidade pública no Brasil

UFOP comemora 51 anos com palestra sobre papel da universidade pública no Brasil

A palestra foi ministrada pelo presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Edward Madureira Brasil (UFG), e teve participação da reitora Cláudia Marliére e do vice-reitor Hermínio Nalini. Com o tema “A importância da Universidade Pública no Brasil”, o assunto principal foi o papel das universidades federais no período de enfrentamento à Covid-19. O evento foi realizado na sexta (21), dia do aniversário da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

O palestrante falou sobre como as iniciativas das Instituições Federas de Ensino Superior (Ifes) contribuem para que o combate à pandemia seja efetivo, ressaltando como o desenvolvimento de respiradores, equipamentos de proteção individual e tantos outros projetos auxiliam a população brasileira na contenção do avanço do coronavírus.

A importância da universidade pública como agente social foi outro assunto abordado. Para Edward, as Ifes se mostram as instituições responsáveis pela transformação da sociedade. “As universidades, na minha concepção, são sem dúvida nenhuma os grandes agentes de desenvolvimento deste país”.

A reitora Cláudia Marliére falou sobre a responsabilidade social da UFOP ao fazer parte da RedeLab Covid-19, a rede de laboratórios da fundação Ezequiel Dias que realiza exames de testagem da doença. Ressaltou, ainda, a importância dos profissionais de saúde da Universidade que estão na linha de frente do combate ao vírus e que participam do hospital de campanha, além da confecção e distribuição de protetores faciais para o hospital de campanha e para a Santa Casa da cidade.

A trajetória das universidades públicas do país foi o assunto da fala do vice-reitor Hermínio Nalini. Ele ressaltou que essas instituições já formaram um conjunto de profissionais de alto nível que contribuíram para que o país se desenvolvesse do ponto de vista social e econômico. “O objetivo principal da universidade federal é melhorar a qualidade de vida da população”, afirmou.

CORTES

Sobre a redução orçamentária, a reitora afirmou que “a educação, embora de importância comprovada no enfrentamento da pandemia, sofre e clama por ajuda. São certas as incertezas, mas sabemos que a resposta ao controle da pandemia passa pelas universidades públicas”.

Para a reitora, os cortes orçamentários são uma afronta a quem trabalha em prol de educação de qualidade e àqueles que, hoje, com projetos de pesquisa e extensão enfrentam e buscam resposta para essa pandemia. “Acredito e espero uma reversão desse corte, pois sua efetivação poderia sucumbir este patrimônio do povo brasileiro”, declarou.

Compartilhar