UFOP realiza reuniões de mobilização em prol dos atingidos pela barragem

UFOP realiza reuniões de mobilização em prol dos atingidos pela barragem

Com o intuito de organizar as ações de apoio aos atingidos pela barragem em Bento Rodrigues, a Pró-Reitoria de Extensão da UFOP realizou novas reuniões no dia 15, com a diretora do ICHS, Margareth Diniz, o professor Marcelo Abreu e demais membros da UFOP, e em 16 de dezembro, entre membros da Proex UFOP e Proex UFMG.

Na primeira delas, foi decidido que serão indicados três nomes para representação da gestão superior (pode ser do próprio comitê gestor ou de outros três suplentes), garantindo assim a diversidade de áreas de conhecimento e de pessoas nessas reuniões. Além disso, o Ministério Público (MP) vai demandar da Universidade o cadastramento das famílias atingidas para garantir a isenção em todo o processo, dessa forma o MP retira um pouco do protagonismo da Samarco nessa ação. O MP solicitou também que todas as ações da empresa sejam acompanhadas por auditores externos, pois avalia-se que as representações dos atingidos sobre as ações da Samarco começam a ser abaladas, uma vez que a empresa se recusou a assinar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC), alegando que esse ato significa a falência da empresa.

A diretora do ICHS, Margareth Diniz, relatou as ações que organiza, visando alterar a concepção de alternativas de trabalho e renda em Mariana. Em parceria com o Plano mais Cultura (já aprovado em 2015), empresas da área de editoração e livrarias, Diniz está propondo o Curso de Formação de Livreiros de Mariana para possibilitar alternativas de emprego à mineração.  Ao se discutir os projetos de trabalho, outra decisão foi tomada na reunião do dia 15, a mudança do nome “ações voluntárias” para “Comitê de Mobilização das Ações”, formalizando o vinculo dessas ações com a Proex.

Já na segunda reunião (16), a Pró-reitora de Extensão, Ida Berenice Heuser do Prado, informou que realiza um mapeamento de possíveis ações de extensão em Mariana, e apresentará os resultados até 16 de janeiro do ano que vem, que serão submetidas à análise do Reitor da UFMG. Segundo Ida Prado, o que se pretende é a formação de um grupo de trabalho para atuar em Mariana com a parceria das duas Universidades. Os representantes da UFOP se manifestaram favoráveis ao trabalho em conjunto, mas ressaltaram a necessidade de detalhar o plano de ação a partir da apresentação das propostas lançadas pelas respectivas instituições. Nesse aspecto, cabe ressaltar que o comitê da UFOP já registra vinte e nove propostas.

As próximas reuniões estão agendadas para o dia 25 de janeiro, com o Comitê de Mobilização das Ações, e entre 15 e 19 de fevereiro, com as Pró-reitorias das duas Universidades.

Íris Jesus – Universidade Federal de Ouro Preto

Compartilhar