UFPA: Projeto de Telefonia Celular Comunitária é destaque internacional

UFPA: Projeto de Telefonia Celular Comunitária é destaque internacional

O projeto Telefonia Celular Comunitária (Celcom), que viabiliza um sistema alternativo de telefonia celular, vencedor do  prêmio nacional Vale-Capes, ganhou destaque na União Internacional de Telecomunicações (UIT-D) da ONU, na Suíça. A apresentação foi feita ao “grupo de estudo 1” do UIT-D, durante discussão da “questão 5” sobre tecnologia da informação e comunicação (TIC) para áreas rurais e remotas.

A UIT é uma agência especializada da ONU, que promove a cooperação internacional e a solidariedade na prestação de assistência técnica e criação, no âmbito do setor de desenvolvimento de telecomunicações. A agência tem como objetivo desenvolver e melhorar os equipamentos de redes de telecomunicações nos países em desenvolvimento. A apresentação do projeto Celcom visou destacar a importância e as dificuldades em conectar a Amazônia paraense.

Segundo Brenda Vilas Boas, estudante de Engenharia Elétrica, bolsista no Laboratório de Sensores e Sistemas Embarcados (Lasse) e voluntária no Celcom, o que levou o projeto à Suíça foi a sua diversidade. “As recomendações do UIT influenciam, entre outros, fabricantes de equipamentos e agencias reguladoras. Neste sentido, conectar a Amazônia paraense apresenta particularidades técnicas, que consideramos importantes a serem consideradas durante a edição dessas recomendações internacionais”, explica.

Além disso, Brenda destaca, também, a excelente recepção do projeto durante a apresentação.  “Já conseguimos a inclusão da contribuição ao relatório final do grupo de estudo relacionado à questão da TIC para áreas rurais e isoladas, que deve ser publicado ainda este ano.”

Articulação e apresentação – O incentivo principal para fazer a contribuição ao grupo de estudo do UIT-D veio da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em meados de outubro de 2016, quando o professor Aldebaro Klautau Junior participou de uma reunião com o órgão, em Brasília.

A contribuição submetida ainda em 2016 foi proferida por Brenda Vilas Boas que, atualmente, está participando de intercâmbio na Escola Técnica Superior de Engenharia de Telecomunicações da Universidade Politécnica de Madrid (ETSIT-UPM), Espanha, favorecendo o deslocamento à Genebra, Suíça.

Próximos passos – Além do projeto piloto em Boa Vista do Acará, já em execução, o Celcom está trabalhando para implantar dois pilotos, um em Itabocal (Irituia) e outro em Caxiuanã (Melgaço). O objetivo é que, em alguns meses, o projeto já possa ter mais experiências para compartilhar com os órgãos internacionais.

Compartilhar