UFPE – Livro “Cordão”, de Eduardo Queiroga, é lançado em Caruaru na quinta-feira (3)

UFPE – Livro “Cordão”, de Eduardo Queiroga, é lançado em Caruaru na quinta-feira (3)

O lançamento do livro “Cordão” de Eduardo Queiroga, na quinta-feira (3), às 14h, no Armazém da Criatividade (Polo Caruaru, Rodovia BR 104, km 62, s/nº, Nova Caruaru, Caruaru), abre o ciclo 2018 do projeto “O Moderno Popular”, projeto de extensão coordenado pela professora Fabiana Moraes, do Núcleo de Design e Comunicação (NDC) do Centro Acadêmico do Agreste (CAA) da UFPE), que também assina texto no livro “Cordão.” O lançamento contará com presença da Associação das Parteiras Tradicionais de Caruaru. As inscrições são feitas gratuitamente no local na hora do evento.

As parteiras não sumiram com a medicina moderna, elas existem – e resistem – paralelamente. Eduardo Queiroga, autor e fotógrafo que registrou essas mulheres por dez anos, comenta sobre a importância de trazer a história delas a um público maior: “Acredito que ainda há muita falta de informação envolvendo práticas tradicionais como essa. Não raro, quando falo de parteiras com amigos ou alunos, há um comentário de algo muito distante (no tempo e no espaço), como se fossem coisa do passado ou de lugares distantes e de difícil acesso.”

Apesar de ter iniciado os registros há uma década, Queiroga decidiu realizar o livro apenas há três anos. “Cordão”, editado pela fotógrafa Ana Lira e com design de Luciana Calheiros e Aurélio Velho, é um desdobramento da pesquisa iniciada dentro do Instituto Nômades, organização que atua na promoção da saúde, da educação popular e da cultura. O Instituo Nômades foi fundado em 2005 e desenvolveu vários projetos nas áreas citadas, alguns deles justamente sobre as parteiras.

Queiroga fala que a pesquisa e dedicação de Morim foi essencial para o lançamento do livro. Ela é a diretora do documentário “Simbiose” que também conta a história das parteiras de Pernambuco, ganhador do prêmio de Melhor Filme da 2ª Mostra Lugar de Mulher é no Cinema. Ela comenta a relevância do projeto: “É muito importante valorizar essas mulheres e os saberes que carregam consigo. É importante mostrar seu universo, mostrar seus rostos, mostrar que elas existem e que estão ali, do seu lado.”

“Cordão” possui 80 registros visuais dessas mulheres. Uma delas é Josefa Alves de Carvalho, conhecida como Zefinha, parteira há mais de 40 anos. Ela e outras parteiras estarão no dia 3, no lançamento, para falar sobre a sua realidade para os ouvintes. Também participarão do lançamento integrantes do Núcleo de Ciências da Vida da UFPE, trazendo a medicina moderna para debater com a tradição popular.

O lançamento do livro é parte do projeto O Moderno Popular organizado pela jornalista e professora universitária Fabiana Moraes. O evento também conta com a parceria do Armazém da Criatividade/Porto Digital. O projeto discute através da literatura, do cinema, da fotografia e do design a cultura popular nos tempos atuais. O lançamento de “Cordão” une bem esses dois termos e nos mostra a grande história das senhoras do nascer. As parteiras ainda estão aqui. E a tradição é parte do que sustenta a modernidade.

 

Compartilhar