UFPE – Novembro Azul é tema do projeto Fluir com a Vida

UFPE – Novembro Azul é tema do projeto Fluir com a Vida

 

Mês de conscientização tem como objetivo reforçar a importância dos cuidados com a saúde masculina

Tendo como um de seus objetivos trazer conteúdos voltados para o cuidado com a saúde e bem-estar do servidor, o projeto de extensão “Fluir com a vida”, lançado pela Diretoria de Qualidade de Vida (DQV) da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida (Progepe) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em apoio a Campanha Novembro Azul, destaca a importância da realização do exame de toque retal e de PSA (antígeno prostático específico).

O movimento Novembro Azul teve início em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce das doenças que atingem a população masculina. Com ênfase na prevenção do câncer de próstata (tipo de câncer mais frequente entre os homens brasileiros, depois do câncer de pele) que ocorre geralmente em homens mais velhos – seis em cada dez casos são diagnosticados em pacientes com mais de 65 anos.

Conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), entre 2018 e 2019, no Brasil, foram diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata e cerca de 15 mil mortes/ano em decorrência da doença. De acordo com o Ministério da Saúde, diariamente, 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata e, aproximadamente, 3 milhões vivem com a doença.

Em 2008, o Sistema Único de Saúde, formulou a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, um conjunto de ações que visa promover a atenção integral à saúde do homem. Estimulando o autocuidado e contribuindo significativamente para a compreensão da realidade singular masculina nos seus diversos contextos socioculturais e político-econômicos. Este conjunto possibilita o aumento da expectativa de vida e a redução dos índices de morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis nessa população.

Muitos agravos poderiam ser evitados caso os homens não fossem tão resistentes a realizar, com regularidade, as medidas de prevenção primária. Por isso, é importante buscar conversar com um urologista sobre o tema, tirar dúvidas e quebrar preconceitos. A detecção e o tratamento precoces podem salvar vidas.

PREVENÇÃO E TRATAMENTO – Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA.

Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

Os exames de toque retal e de PSA são os principais meios para detectar a doença precocemente, quando as chances de cura são maiores e os tratamentos, menos invasivos.

Compartilhar