UFPE – Tecnologia para denúncia de assédio sexual no transporte público participa de programa global de aceleração

UFPE – Tecnologia para denúncia de assédio sexual no transporte público participa de programa global de aceleração

A Nina foi fundada pela estudante Simony César, do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

A Nina, uma tecnologia que nasceu para mapear e denunciar os casos de assédio sexual que acontecem diariamente no transporte público brasileiro, foi selecionada para participar do MAN Impact Accelerator, programa global do grupo Volkswagen voltado para acelerar empreendimentos sociais em transporte e logística com potencial de grande impacto para a sociedade. Fundada pela estudante de Publicidade e Propaganda da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Simony César, a Nina foi um dos oito projetos selecionados entre mais de 300 inscritos de mais de 40 países.

O MAN Impact Accelerator apoia startups de negócios sociais no campo da mobilidade, transporte e logística para acelerar inovações impactantes. “Foi uma surpresa”, afirmou a estudante, que vai para Munique, na Alemanha, no próximo dia 19, para a primeira fase do programa. Ela vai passar por etapas como Desenvolvimento de Produto, Marketing e Comunicação, Tecnologia, Investimento e Consolidação da Equipe, entre outras, nas cidades de São Paulo, Lisboa e Joanesburgo. O programa inclui acesso a um pool de mais de 300 mentores da MAN Truck & Bus, Yunus Social Business e outras empresas.

INOVAÇÃO – A Nina também participou do programa Mulheres na Ciência e Inovação, organizado pelo Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, e pelo British Council, na semana de 21 a 25 de outubro. Voltado para pesquisadoras de Ciência, Tecnologia, Engenharias e Matemática que desejam inovar e empreender, o programa visa fortalecer a liderança feminina na inovação de base científica e tecnológica. O curso de uma semana apresentou noções de estruturação de modelo de negócios, branding, direito intelectual e características necessárias às empreendedoras, entre outros.

Para Simony César, o evento foi uma oportunidade de trocar experiências e aumentar o network com outras mulheres ligadas ao empreendedorismo na academia. “Foi muito bom para eu poder me aproximar de mais pesquisadoras”, disse, ressaltando que recebeu dois convites para produzir artigos científicos com uso da base de dados do Nina. Foram escolhidas duas, das 36 participantes da turma, para fazer um intercâmbio cultural no Reino Unido, com o objetivo de fomentar startups de lideranças femininas, e a estudante da UFPE ficou entre as cinco melhores.

NINA – A Nina é uma startup e consultoria de mobilidade e gênero, que fornece tecnologia para rastrear, padronizar e centralizar denúncias de assédio no deslocamento em cidades. Com base em dados, ela auxilia na criação de políticas públicas para ações emergenciais e preventivas de combate à problemática e planejamento urbano. A primeira capital a implementar a Nina como política pública foi Fortaleza (CE), onde o serviço foi inserido no aplicativo Meu Ônibus. A tecnologia facilita a denúncia, reúne provas do assédio e mapeia os casos na cidade.

Compartilhar