UFPEL inicia pesquisa de saúde com a população de Pelotas

UFPEL inicia pesquisa de saúde com a população de Pelotas

A saúde da população adulta de Pelotas será tema de nova pesquisa realizada pelo Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (PPGE/UFPel). O estudo Saúde em Casa – Estudo de Mestrado em Consórcio para Avaliação da Saúde do Adulto – teve início nesta segunda-feira (9) e irá ouvir 3,5 mil pessoas, de 18 anos ou mais de idade, residentes na zona urbana da cidade.

O levantamento irá traçar um perfil de saúde da população, abrangendo questões de interesse em saúde pública, como níveis de violência, acesso a serviços de saúde e discriminação nesses serviços, qualidade do sono, consumo de tranquilizantes, prevalência de depressão, ocorrência simultânea de duas ou mais doenças e prática de atividade física. Serão também investigadas questões menos frequentes em inquéritos populacionais, como a percepção de justiça na vida pessoal e indisponibilidade de alimentos.

“Queremos avaliar como tem se dado o acesso a alimentos adequados, em quantidade e qualidade, em comparação ao que foi encontrado pelo próprio programa em 2007. O interesse pelo tema surgiu em função do aumento expressivo do desemprego e da pobreza no país nos últimos anos – ambos exercendo influência sobre a alimentação das famílias”, declara Eloisa Porciúncula, nutricionista e mestranda do PPGE.

Para a coleta de dados, serão visitados cerca de 1,7 mil domicílios de todas as regiões da cidade. “Esperamos ser tão bem-recebidos quanto em outras edições da pesquisa”, afirma uma das coordenadoras do estudo, a coordenadora do PPGE Helen Gonçalves. “Devido ao formato dos questionários, as entrevistadoras deverão ser recebidas dentro das casas, para facilitar a entrevista com todos os moradores”, informa. O Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da UFPel realiza este tipo de pesquisa de saúde coletiva com a população de Pelotas a cada dois anos desde 1999.

A condução do estudo, desde a coleta até a análise dos dados, é realizada com a participação de pesquisadores em formação no curso de mestrado, sob coordenação das docentes Helen Gonçalves, Luciana Tovo e Elaine Tomasi. As informações do estudo são analisadas por diversas áreas da saúde, como enfermagem, psicologia, medicina, nutrição, odontologia, fisioterapia e educação física. Os domicílios que participarão da pesquisa são escolhidos por sorteio, e as informações fornecidas pelos participantes são confidenciais, sendo utilizadas para análise sem identificação dos entrevistados. Todas as entrevistadoras podem ser identificadas pela camisa e crachá do estudo. Em caso de dúvida, os entrevistados podem obter a confirmação pelo número (53) 3284-1332.

A estimativa é de finalização do estudo no primeiro semestre de 2020. O objetivo deste monitoramento é relacionar os hábitos de vida com o estado de saúde da população. Os resultados, com divulgação prevista para o final de 2020, têm potencial para contribuir com profissionais e gestores de saúde na formulação políticas públicas adequadas às necessidades da população.

 

Compartilhar