UFPel reúne prefeitos e intendentes para debater desenvolvimento nas áreas de fronteira

UFPel reúne prefeitos e intendentes para debater desenvolvimento nas áreas de fronteira

Prefeitos e intendentes das áreas de fronteira entre Brasil e Uruguai estão reunidos na UFPel nesta sexta-feira(19), com o objetivo de discutir as próximas ações do programa de ação integrada, promovido pela Universidade, com o apoio institucional dos governos dos dois países. O primeiro encontro havia sido realizado em Montevidéu.

Depois de uma breve apresentação da UFPel, o reitor Cesar Borges, na qualidade de anfitrião do evento, descreveu as ações lideradas ou apoiadas pela instituição na fronteira Brasil-Uruguai, e os projetos em que a Universidade poderá vir a contribuir, como por exemplo a preservação e adequada utilização do Aquífero Guarani. Merecem destaque os esforços para a implementação da hidrovia do Mercosul, a atuação da Agência da Lagoa Mirim nas questões de gerenciamento de águas e em projetos de açudagem e abastecimento urbano, entre outros, como as atividades desenvolvidas através do Centro de Integração do Mercosul e do recém criado Núcleo de Estudos Fronteiriços.

Outra iniciativa liderada pela UFPel e que começa a ganhar forma são as Unidades Fronteiriças de Saúde (UFS), cujo projeto conta com o aval dos Ministérios de Planejamento e da Saúde. As unidades de porte um, voltado para cidades de 50 a 100 mil habitantes, contempla os municípios de Aceguá/Acegua, Barra do Quaraí e Quaraí; enquanto as unidades de porte dois, para cidades 101 a 200 mil habitantes, está direcionado para Jaguarão/Rio Branco, Santa Vitória do Palmar/Chuí e Santana do Livramento/Rivera. De acordo com o projeto, as unidades prestarão atendimento a pacientes das duas cidades fronteiriças.

Na UFS serão tratadas as doenças mais simples, sendo os casos mais complexos encaminhados ao Hospital-Escolda da UFPel. Em cada uma delas, atuarão médicos residentes da Universidade, em quatro especialidades. Estuda-se também a prestação de serviço de atendimento domiciliar a pacientes com doenças crônicas e a criação de área de apoio psicológico a dependentes químicos. Para credenciar-se ao projeto, os prefeitos devem destinar uma área física para a instalação da unidade.

A atuação da Agência da Lagoa Mirim foi destacada pelo diretor do órgão e pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPel, professor Manoel Maia, que, em seu pronunciamento, exaltou o poder político da região, que agora começa a ganhar peso com a participação efetiva dos prefeitos e intendentes. Maia citou o projeto de saneamento urbano nas áreas adjacentes à Lagoa Mirim, iniciado há três anos, no município de Aceguá, que prevê, num primeiro momento o tratamento de esgoto e depois avançará para a parte de lixo e águas pluviais.

O professor Érico Kunde, do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental e que coordena o Núcleo de Estudos Fronteiriços da UFPel apresentou aos prefeitos e intendentes a visão da Universidade na área da sustentabilidade ambiental e os segmentos em que a instituição pode prestar sua colaboração, como na elaboração e acompanhamento de projetos, intercâmbio de informações, suporte técnico e educação ambiental.

O encontro serviu para debater a proposta de formação de um grupo de trabalho, responsável pela elaboração de projetos transfronteiriços conjuntos, para alavancar financiamentos do Fundo para a Convergência Estrutural e Fortalecimento Institucional do Mercosul (Focem). Na oportunidade, o representante da Delegação Permanente do Brasil junto à Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), Roberto Goidanich, no ato representando o embaixador Regis Arslanian, descreveu os mecanismos e procedimentos para obter recursos do Focem. Uma carta de compromissos foi elaborada, determinando as próximas ações.

Estão presentes no evento  representantes das seguintes localidades: Cerro Largo, Jaguarão, Barra do Quaraí, Rio Branco, Aceguá, Santana do Livramento, Santa Vitória do Palmar e Rivera.

Compartilhar