UFPel sedia 6º Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia Urbana

UFPel sedia 6º Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia Urbana

O Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia Urbana (EICCMU) está promovendo a sua sexta edição, reiterando os atravessamentos das diferentes abordagens acerca do urbanismo. O encontro será realizado nos dias 6, 7 e 8 de dezembro, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pelotas (FAUrb/UFPel).

O evento é organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PROGRAU) e Laboratório de Urbanismo (LabUrb), da FAUrb/UFPel. A temática dessa edição é o [in]tangível. Conforme a organização, intangível é aquilo que não pode se ver, tocar, mas também é aquilo que permanece no tempo devido à sua imaterialidade. O valor intangível pode ser atribuído àqueles processos ou práticas inovadoras dentro de uma sociedade que admite o indeterminado. “Nos referimos àquelas práticas, representações, expressões, conhecimentos e habilidades, bem como ferramentas, artefatos, objetos e espaços culturais associados, que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos, reconhecem como parte do seu patrimônio cultural”, explicam os organizadores.
De acordo com o grupo, o patrimônio imaterial fornece um sentido de identidade e continuidade, e incentiva o respeito à diversidade cultural, a criatividade humana, o desenvolvimento sustentável, além do que um respeito mútuo entre as próprias comunidades e os indivíduos envolvidos.

O 6º EICC tem como objetivo geral conhecer as manifestações urbanas encontradas na cidade da contemporaneidade, a partir do cruzamento de fronteiras e do habitar novos territórios [in]tangíveis. Como principais objetivos específicos, divulgar e auxiliar as pesquisas desenvolvidas pelo LabUrb, PROGRAU, Linha de Pesquisa Urbanismo Contemporâneo, referentes à temática do encontro; realizar a interação entre os diversos grupos de pesquisa, nacionais e internacionais, participantes do evento; e compreender, por meio de oficinas, novas metodologias aplicáveis às cidade e [in]tangíveis na contemporaneidade.

Contribuições para a sociedade

Entre as contribuições do tema para a sociedade, estão avanços na área de cadastro e mapeamento de configurações complexas – com os resultados obtidos no evento será possível aproximar e levar em consideração nas pesquisas tradicionais do campo do planejamento urbano e regional, dados que até então não eram computados, como as ocasionalidades, os usos informais, as culturas e sociedades menores, os (in)tangíveis, entre outros.

Também é considerada a produção local de metodologia e tecnologia. Será sistematizada durante o processo de oficinas uma ação metodológica “nova”, que, aliada a outras que já fazem parte do repertório dos estudos de planejamento urbano e regional, possibilitará sua reprodução por órgãos públicos e outros centros de pesquisa.
Além disso, o evento proporcionará produção de conhecimento sobre a cidade [in]tangível. A partir da relação do encontro com outros centros de pesquisa, a investigação trará avanços para o campo das ecologias urbanas que se ocupam das problemáticas da superurbanização e do ambiente em geral.

Participação

Serão aceitos resumos expandidos (português e espanhol), até 6 de novembro para serem apresentados nas seguintes Sessões Temáticas: 1. Morfologia Urbana: estudos sobre a forma, estruturas e transformações da cidade; 2. Cartografia Urbana: leituras sensíveis da experiência, intervenção e apropriação da cidade e; 3. Teoria Urbana: estudos críticos e históricos sobre o desenvolvimento e planejamento urbano e regional.
Desde a primeira edição, o encontro é realizado com o apoio no edital Auxílio para Organização de Eventos (AOE) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (FAPERGS).

Mais informações estão na página do evento no Facebook e histórico do evento aqui.
As inscrições podem ser feitas no site do evento.

Fonte: Ascom UFPel

Compartilhar