UFPR recruta participantes para investigar o uso de traços oculares como biometria

UFPR recruta participantes para investigar o uso de traços oculares como biometria

O Laboratório Visão, Robótica e Imagens (VRI) do Departamento de Informática (DInf) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) está recrutando integrantes para uma base de dados que vai investigar o uso de traços oculares como biometria. Para alimentar o acervo, os estudantes desenvolveram um aplicativo de smartphone.

O aplicativo foi elaborado pelo doutorando Luiz Antonio Zanlorensi e pelo bacharel Lucas Romanó, ambos da área de informática. O projeto é coordenado pelo professor David Menotti e foi aprovado pelo Comitê de Ética da UFPR.

A finalidade do acervo é a pesquisa científica em métodos computacionais aplicados à biometria ocular. Para os autores do trabalho, a disponibilização destes dados é de extrema importância para a comunidade científica, pois permite a reprodutibilidade de experimentos.

Os participantes deverão capturar as imagens da sua própria região ocular. A forma de captura provavelmente ocasionará imagens com ruídos. “Os ruídos, consequência dos ambientes em que os participantes estarão inseridos, serão causados por iluminação, reflexos, borrões, oclusões, distância da região ocular e câmera do smartphone”, explicam os estudantes salientando que a presença desses ruídos é importante e objeto do projeto.

As imagens chegarão ao servidor apenas com as informações sobre a câmera do smartphone, idade e sexo do participante, sendo permitido não declarar estes dados. A disponibilização desta base de dados para a comunidade científica será feita mediante a assinatura de um termo de compromisso de não divulgação das imagens e uso exclusivo para fins de pesquisa.

Os resultados esperados são a avaliação das metodologias existentes nesse novo acervo e a proposta de uma abordagem para reconhecimento ocular que não sofra degradação devido a imagens obtidas por diferentes câmeras e com uma grande quantidade de indivíduos. Será possível obter resultados sobre a investigação do impacto de diferentes texturas de íris e, principalmente, sobre o comportamento da escalabilidade nas modalidades de íris e periocular.

O aplicativo está disponível para download na Google Play, para sistema Android, e na Apple Store, sistema iOS.

Compartilhar