UFRA e Sistema OCB assinam acordo de cooperação técnico-científica

Representantes do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado do Pará – Sistema OCB/PA – estiveram no Campus sede da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) na última segunda-feira, 09, para reunir-se com o Reitor, Professor Marcel Botelho, Pró-Reitores e pesquisadores. O objetivo foi a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnico-Científica com a Ufra, com vistas ao desenvolvimento de programas, projetos e atividades no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão.

A parceria terá vigência de 05 anos, prazo este que pode ser prorrogado. O acordo busca a integração de esforços para execução de aulas práticas e trabalhos de pesquisa em ciências agrárias, relacionados ao desenvolvimento de atividades das cooperativas filiadas ao Sistema OCB. Na ocasião, as partes também assinaram o Plano de Trabalho, que prevê ações de abril de 2018 até abril de 2023.

Estiveram presentes na cerimônia de assinatura o Presidente da OCB/PA, Hernandes Rayol da Silva, os Pró-Reitores de Extensão, Professor Eduardo Valle, de Pesquisa, Profa. Nazaré Maciel, de Assuntos Estudantis, Profa. Iris Lettiere da Silva, de Gestão de Pessoas, Saulo Wanzeler, e de Administração e Finanças, Marcelo Vilela, além dos Pró-Reitores Adjuntos de Extensão, Prof. Jonas Castro, de Planejamento, José Raimundo Viana, e de Assuntos Estudantis, Prof. Antônio Moreira, do Professor Leandro Meyer (ICA) e da agrônoma Wilza Pinto.

O presidente da OCB/PA afirmou tratar-se de um momento histórico. “Não poderíamos continuar a trabalhar o cooperativismo sem a mão do conhecimento científico”, disse ele. Segundo o Reitor, o acordo será também um instrumento para viabilizar o planejamento estratégico da Ufra: “Que a gente aproxime cada vez mais a Universidade do setor produtivo do Pará e da Amazônia porque a nossa missão é contribuir para o desenvolvimento sustentável da região”.

A pesquisadora Dra. Silvia Uliana (USP) destaca a importância do evento: “Tivemos uma oportunidade preciosa de discutir entre especialistas de diversas áreas um dos tópicos de maior relevância e gravidade para a saúde pública no Brasil. As dificuldades e perspectivas para o tratamento de leishmaniose visceral. Unir esforços com grupos nacionais e internacionais nos parece a melhor abordagem para tentarmos trazer novas ideias e abordagens para contribuir para a resolução desse problema”.

A estudante capixaba, agora em York, Juliana B. Carnielli Trindade, analisa os dois dias de discussão. “O evento permitiu compartilhar conhecimento, com renomados pesquisadores do Brasil e do Reino Unido, sobre o parasita Leishmania e os desafios enfrentados no tratamento dessa doença negligenciada. Oportunidade única e enriquecedora!”.

O evento contou ainda com uma visita guiada ao Hospital de Doenças Tropicais Natan Portella.

Compartilhe: