UFRGS debate a Constituição Federal

Por que, afinal, se chama a Constituição Federal de “cidadã”? E por que dizem que ela é avançada, se comparando com as de outros países? Depois de trinta anos, como se pode avaliar a aplicação do que se propôs? Com tantas emendas e reformas, ela ainda é a mesma?

Buscando contribuir para o debate sobre essas e outras questões relativas à Constituição Federal, promulgada há 30 anos, o Jornal da Universidade (JU) e o Instituto Latino-americano de Estudos Avançados (Ilea) promovem um debate que acontece no dia 9 de outubro, terça-feira, às 14h, no Salão de Festas da Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Av. Paulo Gama, 110 – 2.° andar). A entrada é franca e aberta a todos os interessados. Será emitido certificado para os participantes que solicitarem.

Para analisar o tema, a atividade reúne três professores da UFRGS. Aragon Dasso Júnior, do curso de Administração Pública, pesquisa temas relacionados com reforma do Estado, direito regulatório, direitos fundamentais, democracia, participação cidadã, políticas públicas, saúde pública, globalização e processos de integração regional. Maria Lucia Moritz, do PPG em Ciência Política, tem como principais temas de pesquisa discurso político, eleições, campanha presidencial, poder legislativo e partidos de esquerda. Rodrigo Valin de Oliveira, professor e vice-diretor da Faculdade de Direito, atua principalmente com temáticas sobre sistemas de governo, filosofia do Estado, direitos fundamentais, direitos humanos, controle de constitucionalidade, Supremo Tribunal Federal e Poder Judiciário. A mediação é do jornalista e editor-chefe do Jornal da Universidade, Everton Cardoso.

Mais informações pelos telefones 3308.3368 e 3308.3497, pelo e-mail jornal@ufrgs.br ou pelo facebook.com/jornaldaufrgs.

Compartilhe: