UFRN realiza quase 2 mil testes da Covid-19

UFRN realiza quase 2 mil testes da Covid-19

De forma voluntária e com o intuito de unir forças no enfrentamento da Covid-19 no estado, a equipe do Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) vem realizando testes do novo coronavírus para apoiar o Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Lacen). Até este domingo de Páscoa, 12 de abril, a unidade efetuou quase 2 mil testes.

Como forma de agradecer ao trabalho incansável do IMT-UFRN no combate ao novo coronavírus, o reitor José Daniel Diniz Melo visitou, neste domingo, 12, a unidade clínica do Instituto, para parabenizar a equipe pelo esforço na realização dos exames da Covid-19 e pelo teleatendimento ofertado à população. Além disso, o gestor conheceu de perto a ferramenta de gerenciamento de leitos hospitalares, que foi desenvolvida por pesquisadores do Instituto Metrópole Digital (IMD-UFRN) e disponibilizada para o nosso estado. “O trabalho de pessoas como essas faz com que tenhamos orgulho de fazer parte da UFRN”, considera o professor.

Na ocasião, a diretora do IMT-UFRN, Selma Jerônimo, fez um balanço sobre a quantidade de testes da Covid-19 realizados pela UFRN, mostrando que, de 26 de março até 12 de abril, foram feitos um total de 1848 testes, sendo que 1545 deram negativos e 303 deram positivos.

Percentualmente, de 26 a 29 de março, 78,6% dos testes foram negativos e 21,4% positivos. De 30 de março a 5 de abril, 85,1% deram negativos e 14,9% deram positivos. Já de 6 a 12 de abril, 86,2% foram negativos e 13,8% deram positivos para coronavírus. “Esses números não refletem a situação epidemiológica atual do estado, visto que foram colhidos em datas e localidades diferentes. Os números apenas mostram o quantitativo de exames realizados pela Universidade em parceria com o Lacen”, explica a cientista.

Nos próximos meses, a expectativa é que a UFRN realize mais de 100 mil testes, o que vai aumentar a capacidade de diagnóstico no estado, especialmente na realização de exames em profissionais que atuam em serviços essenciais, além de ampliar os resultados em vários municípios do RN. Dessa forma, o diagnóstico será mais rápido e evitará que pessoas infectadas circulem propagando o vírus.

Parceria UFRN-Lacen

Os exames da Covid-19 podem ser realizados de duas formas que são o diagnóstico molecular, usando um método chamado de PCR, e a técnica imunológica, que a avalia a resposta de defesa de cada pessoa.

Atualmente, o primeiro método é utilizado no RN, seguindo o seguintes passos: o Lacen recebe as coletas em swab (haste para transporte de amostras) do material colhido nos pacientes e realiza a extração do ácido nucleico (informação genética). Em seguida, ocorre a amplificação do material no IMT-UFRN ou no Lacen, que é a fase de detecção da presença do vírus. Por fim, o Instituto devolve os resultados ao Laboratório Estadual para que ocorra a análise epidemiológica da doença.

Compartilhar