UFRN – SBPC Cultural será de 3 a 7 de novembro

UFRN – SBPC Cultural será de 3 a 7 de novembro

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) promove, do dia 3 a 7 de novembro, a SBPC Cultural que, nesta edição, irá acontecer inteiramente de forma virtual. Por esse motivo, o evento permitirá a exibição de espetáculos que unem ciência e arte de outras regiões do Brasil. Todas as atividades serão realizadas a partir das 19h30, no canal SBPCnet.

Confira a programação completa.

Com o tema Ciência, Educação e Desenvolvimento Sustentável para o Século XXI, a versão estendida e virtual da 72ª Reunião Anual da SBPC é realizada em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A semana abre com a apresentação musical da intérprete, compositora e atriz potiguar Khrystal, na terça-feira, 3 de novembro. Ela tem mais vinte anos de música, três discos lançados (disponíveis em todas as plataformas digitais), aparições em programas de TV como The Voice Brasil e encontros marcantes no palco com grandes artistas da música brasileira.

As atividades regionais serão organizadas pela UFRN em parceria com outras instituições locais, sob a coordenação geral da SBPC e da UFRN. A cada dia a SBPC Cultural recebe um convidado diferente para fazer parte da programação.

Na quarta-feira, 4 de novembro, é a vez do grupo rítmico potiguar Folia de Rua apresentar os principais ritmos da cultura popular potiguar Afro-Ameríndia e personagens do Auto do Calemba. Embalados pelos ritmos da cultura popular local de origem Afro-Ameríndia (Cocos: Bambelô e Zambê), indígenas (Potiguares e Caboclinhos de Ceará-Mirim) e com os personagens do Boi Calemba (Boi, Burrinha, Jaragua, Birico e Catirina), o grupo propõe um passeio pelo universo cultural das três etnias mais importantes na formação cultural do Nordeste do Brasil.

Na quinta-feira, 5 de novembro, é dia da apresentação teatral Chico Jararaca com montagem do grupo Trapiá Cia Cultural. A peça conta a história de Chico Jararaca que nasceu no Seridó potiguar e foi um cangaceiro do bando de Antônio Silvino (anterior ao de Lampião) que perambulou pela caatinga nordestina no início do século passado, fugindo de volantes e sobrevivendo a assaltos. Suas histórias povoam o imaginário do povo sertanejo e dão conta da enorme complexidade que foi o cangaço. Sua vida, durante e depois do cangaço, foi marcada por aperreios, crenças, fantasias, saudades, perdas, boas correrias e uma preocupação diária com o uso consciente da água. O público terá a oportunidade de vivenciar o universo desse cangaceiro que sempre afirmou que nunca matou ninguém.

Na sexta-feira, 6 de novembro, a programação conta com duas atrações. A primeira é a apresentação musical Delírios da pandemia (The fool on the hill – Beatles), com a Filarmônica UFRN e Mad Dogs. Em seguida, a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Ceará (UFC) fará a apresentação musical Sobral apresenta Sanfona Sentida.

Já no sábado, 7 de novembro, é o dia da apresentação teatral Estátua Amazônica, uma sátira escrita em 1851 pelo dramaturgo, caricaturista e homem das letras importante no século XIX, Araújo Porto-Alegre. Nela, ele ridiculariza o colonialismo francês, a ambição de uma intelectualidade europeia e do arrogante cientificismo positivista predominante. Seus personagens são caricaturas de aproveitadores em busca de afirmações calcadas em sociedades emergentes.

Compartilhar